RADAR DO DIA: Vacinas e produção industrial de abril

Foto de Lorenzo / Pexels

São Paulo – Os principais índices acionários do exterior operam perto da estabilidade, oscilando entre perdas e ganhos e pairando perto de máximas históricas. Os investidores estão receosos em fazer mais apostas na alta dos preços antes de dados importantes previstos para os próximos dias – em particular o relatório sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos, que será publicado na sexta-feira.

O mercado está dividido entre apostar na renda variável e na recuperação da economia, impulsionada pela vacinação contra a covid-19 nos Estados Unidos e na Europa e por estímulos fiscais e monetários nestas regiões, ou nas taxas de juros e na permanência de índices elevados de inflação, e está flutuando nas últimas semanas ao sabor de indicadores que reforcem uma destas duas teses.

No Brasil, o Congresso Nacional aprovou ontem proposta que abre crédito suplementar de R$ 19,768 bilhões aos Ministérios da Economia e da Cidadania para pagamento de aposentadorias, seguro-desemprego e Benefício de Prestação Continuada (BPC). O dinheiro também vai para o Fundo do Regime Geral de Previdência Social (FRGPS) e para o pagamento de despesas financeiras da União.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidirá na sexta-feira (4) se autoriza os pedidos de importação e distribuição de duas vacinas contra a covid-19 – a Covaxin e a Sputnik V. A reunião será transmitida a partir das 10h, pelo canal da Anvisa no YouTube.

A autorização para a importação não significa que as vacinas poderão ser aplicadas na população. Isto só é permitido caso a Anvisa conceda autorização para uso emergencial ou o registro sanitário das duas vacinas.

Na agenda do dia, investidores ficam atentos na participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, num evento às 8h45, mais uma audiência da CPI da covid-19 no Senado, a partir das 9h, e no mesmo horário a divulgação da produção industrial de abril – com previsão de queda mensal de 0,1% e alta anual de 37,3%, segundo o Termômetro CMA.

Em âmbito corporativo, os sistemas da JBS estão voltando a funcionar após a empresa sofrer um ataque cibernético no último dia 30. A JBS USA e a Pilgrim’s informaram que as companhias tiveram avanços significativos na solução do ataque que impactou as operações da empresa na América do Norte e na Austrália. As operações do México e do Reino Unido não foram impactadas e estão funcionando normalmente.

A Cnova, empresa que o Pão de Açúcar detém 34,17% do capital social, disse que pretende realizar, até o final do ano, uma oferta primária de ações no valor de 300 milhões de euros e uma oferta secundária por alguns de seus acionistas. Segundo a empresa, o objetivo é acelerar seu crescimento.

O Grupo Fleury, por meio de sua subsidiária Fleury Centro de Procedimentos Médicos Avançados, comprou a totalidade das ações das rede de laboratórios Pretti e Bioclínico, ambos com atuação no Estado do Espírito Santo. O valor de avaliação das aquisições totaliza R$ 315,1 milhões, sendo R$ 193,1 milhões do Pretti e R$ 122,0 milhões do Bioclínico.

A Casa Branca confirmou ter sido notificada pela JBS no domingo (30) sobre a possibilidade de o ataque cibernético contra a empresa ter partido de uma organização baseada na Rússia e disse o FBI está investigando o incidente que e o governo norte-americano está em contato com autoridades russas para discutir o caso.

A aprovação da Medida Provisória 1031/21 pelo Senado, que permitirá a capitalização da Eletrobras vai custar R$ 41 bilhões em valor presente aos consumidores, segundo 40 associações do setor elétrico e da indústria que assinam o manifesto “União pela Energia”. O Senado realiza sessão remota para discutir a MP a partir das 10h.

Em maio, o Custo Unitário Básico (CUB), índice oficial que reflete a variação dos custos das construtoras do estado de São Paulo, avançou 15,53% em 12 meses e 2,23% na comparação mensal, refletindo o aumento dos preços dos materiais de construção e o reajuste salarial, segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo.