RADAR DO DIA: PIB chinês; Meta fiscal no Brasil; Focus eleva dólar

177
Foto: Freeimages.com/ Gary Tamin

São Paulo, SP – Os índices futuros americanos e as bolsas europeias abriram em queda. O dia começou como a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) da China do primeiro trimestre, que avançou 5,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Na comparação com o último trimestre de 2023, a alta foi de 1,6%. A previsão do mercado era de alta de 5% no PIB em base anual.

A produção industrial chinesa subiu 4,5% em março em base anual, abaixo dos 7% registrados em fevereiro. A previsão era de alta de 5,5%. Em termos mensais, a queda foi de 0,08%. Já as vendas no varejo aumentaram 3,1% em março em relação ao ano anterior. A previsão era de alta de 4,6% no período.

Nos Estados Unidos, o mercado fica de olho na divulgação do Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), sobre as condições econômicas das 12 principais regiões do país, na quarta-feira (17). Além disso, o presidente do Fed, Jerome Powell, participa hoje de um evento, que será monitorado pelos analistas em busca de possíveis diretrizes sobre a política monetária no país.

Na semana passada, após o Índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) ter subido além do esperado, levando a inflação do país para 3,5% em março, acima do índice de fevereiro, que chegou a 3,2%, o mau humor do mercado foi generalizado. Agora, a expectativa é que o Fed deve fazer dois cortes nos juros em 2024, com o primeiro acontecendo no início do terceiro trimestre.

Por aqui, ontem, o Ministério do Planejamento divulgou o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que projetou a meta fiscal de 0% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2025, 0,25% em 2026, 0,50% em 2027 e 1,0% em 2028. Já a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 3,10% em 2025 e 3,0% em 2026,2027 e 2028. Já o PIB deve crescer 2,80%, 2,58%, 2,62% e 2,51% em 2025, 2026, 2027 e 2028, respectivamente. A PLDO ainda projetou que o salário seja de 1.502 em 2025, R$ 1.582 em 2026, R$ 1.676 em 2027 e R$ 1.722 em 2028.

O secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, disse que a essência do marco fiscal está absolutamente preservada e que o resultado fiscal é importante para manter a trajetória de uma dívida sustentável. Ele destacou ainda que o cumprimento das metas é algo irretratável deste governo, e que o Brasil, comparativamente ao mundo, está em um ponto privilegiado da política fiscal.

Amanhã sairá o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto de fevereiro. Em janeiro, ele subiu 0,60% em relação a dezembro, indo a 148,50 pontos. Nos dados sem ajuste sazonal, o IBC-Br atingiu 140,51 pontos, ganho de 3,45% na comparação com o mesmo mês de 2023. O indicador subiu 2,37% no trimestre na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, houve um aumento de 0,90%. No acumulado em 12 meses, a elevação é de 2,47%.

Na manhã de hoje foi divulgado o boletim Focus com as previsões de instituições financeiras ouvidas pelo Banco Central do Brasil. Para o IPCA, a expectativa para 2024 passou de 3,76% para 3,71%. Para 2025, a previsão subiu de 3,53% para 3,56%. Sobre a taxa Selic, a previsão para este ano passou de 9% para 9,13%. Para 2025, a previsão ficou estável em 8,50%. Para o Produto Interno Bruto (PIB), a previsão para 2024 subiu de 1,90% para 1,95%. Em 2025, a previsão para o PIB manteve a estabilidade, chegando a 2%. Para o dólar, a previsão para 2024 subiu de R$ 4,95 para R$ 4,97. Para o ano que vem, a previsão se manteve em R$ 5.

No setor corporativo, o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3a Região) acolheu ontem os argumentos do recurso da AGU (Advocacia Geral da União) e derrubou a liminar que afastou Sérgio Machado Rezende do Conselho de Administração da Petrobrás. A decisão, provisória, foi tomada pelo desembargador federal Marcelo Mesquita Saraiva e atende a recurso apresentado pela União. O caso foi encaminhado para análise da Quarta Turma do Tribunal.

O ministro de Minas e Energia (MME), Alexandre Silveira, disse ontem que sua pasta e o Ministério da Fazenda devem publicar, em até dez dias, medida provisória (MP) que autoriza a securitização de recursos devidos pela Eletrobras [Centrais Elétricas Brasileiras S.A.] ao poder público, resultado do processo de desestatização da empresa, em 2021. A securitização possibilita que empresas transformem dívidas em produto financeiro, como títulos negociáveis no mercado financeiro.

A Multiplan informou que vendeu mais um terreno adjacente ao RibeirãoShopping com 11.217 m2, que abrigará um projeto multiuso com VGV (Valor Geral de Vendas) estimado em R$ 500 milhões, a ser desenvolvido por empreendedor local. O pagamento será realizado através de uma permuta financeira de 14,0% do VGV líquido do projeto.

A Vale informou que tomou conhecimento sobre decisão do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) que suspendeu a liminar que autorizava o funcionamento da Mina de Sossego. Em fevereiro de 2024, a Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Pará (SEMAS) havia suspendido a licença de operação (LO) da mina, alegando descumprimento de condicionantes ambientais. Após a decisão da SEMAS, a Vale ajuizou Tutela Provisória de Urgência, tendo o juízo de primeira instância de Canaã dos Carajás, em 24 de fevereiro de 2024, restabelecido a vigência e validade da LO.

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes informa, a respeito da matéria intitulada “Gol diz que deve chegar a acordo com arrendadores nas próximas semanas”, veiculada em 11 de abril de 2024 pelo jornal Folha de S. Paulo, que em audiência realiza no dia 10 de abril de
2024, o juízo responsável pela condução do procedimento de Chapter 11 atualmente conduzido pela companhia aprovou acordos preliminares (term sheets) que foram negociados com cinco arrendadores de aeronaves da GOL.

O volume de lançamentos da MRV Engenharia no primeiro trimestre de 2024 somou R$ 1.6 bilhão bilhões, alta de 150,4% na comparação anual. No período, foram lançadas 6.760 mil unidades. As vendas líquidas da companhia registraram aumento de 18,4% no período, totalizando R$ 2,13 bilhões, na comparação anual. A MRV vendeu 2.131 mil unidades primeiro trimestre, elevação de 18,4%.