RADAR DO DIA: Otimismo global dá lugar a expectativa por Fed

260
Gráfico

São Paulo – Embora o otimismo global vem tomando conta do mercado desde a semana passada, em função da expectativa de recuperação mais rápida que o esperado da economia, nesta semana o foco é a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que pode revelar os novos passos diante da crise.

O fato positivo da semana, por enquanto, é que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu manter o corte histórico na produção mundial de petróleo em quase 10% em vigor desde o dia 1º de maio para impedir a queda nos preços da commodity como resultado da crise do novo coronavírus até 31 de julho.

Nos Estados Unidos às atenções seguem voltadas para os protestos contra a violência policial e o racismo, após a morte de George Floyd, um homem negro, que foi morto por enforcamento por um policial branco.

Para conter os protestos, as forças de segurança norte-americanas intensificaram os esforços com a adoção de toque de recolher em diversas cidades do país. O presidente Donald Trump chegou até a cogitar colocar o exército na rua para conter os atos.

Além disso, a crise entre Estados Unidos e China continua no radar dos investidores. O país asiático aprovou uma resolução que autoriza a elaboração de uma nova lei de segurança nacional para Hong Kong abrindo um precedente para uma colisão entre Pequim e Washington, uma vez que Trump já afirmou que estuda possíveis sansões em retaliação à atitude chinesa.

Por aqui, o desagravo entre Legislativo e Judiciário aumentou após a Polícia Federal (PF) deflagrar a operação das fakes news, que teve como alvo bolsonaristas declarados, entre eles Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang e a deputada federal Carla Zambelli.

Após atos violentos entre manifestantes pró e contra Bolsonaro uma semana antes, no domingo que passou foi possível ver manifestações pacíficas a favor da democracia e contra o racismo, após o governo de Jair Bolsonaro tentar mudar a forma de divulgação dos dados relacionados ao coronavírus.

Ainda internamente, os investidores devem acompanhar julgamentos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e no Supremo Tribunal Federal (STF) de ações que podem embutir risco ao presidente Jair Bolsonaro, além da divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Em relação à pandemia causada pelo novo coronavírus, o número de mortes no mundo está em mais de 403 mil pessoas, de acordo com a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins, enquanto o número de casos no mundo já ultrapassou 7 milhões de infectados. O Brasil possui 710 mil casos confirmados, enquanto 37,312 mil pessoas morreram por causa da doença.

Ontem, o Ibovespa encerrou em alta de 3,17%, aos 97.644,67 pontos, em linha com o otimismo visto nas Bolsas norte-americanas, em meio ao cenário de maior liquidez, reabertura de economias e expectativa de queda da Selic.

Nesta manhã, os contratos futuros de ações dos Estados Unidos mostram uma abertura no campo negativo, após uma sequência de altas impulsionado pelo otimismo da recuperação global mais rápido que o esperado, com o foco na reunião do Fed.

Na Europa, as principais bolsas operam em baixa em clima de cautela antes do Fed e digerindo dados de algumas economias da região, realizando lucros depois de recentes ganhos.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações fecharam em alta, seguindo os ganhos de ontem em Wall Street, com o sentimento do investidor alimentado por esperanças de recuperação econômica depois dos impactos da pandemia do novo coronavírus.

CORPORATIVO

A BR Malls anunciou a retomada de operação de mais dois shoppings, sendo eles o Campinas Shopping e o Independência, localizados em São Paulo e Minas Gerais, respectivamente, totalizando 13 empreendimentos reabertos até o momento.

O conselho de administração da Raízen Energia, do conglomerado Cosan, aprovou a emissão de 169,518 mil e até 1,080 milhão em debêntures, em duas séries cada, não conversíveis em ações, pelo valor unitário de R$ 1 mil cada, perfazendo o montante total de R$ 168,518 milhões e R$ 1,080 bilhão, respectivamente.

Após polêmica sobre sua publicidade, o Banco do Brasil disse que já adotou as medidas necessárias à suspensão da veiculação e publicidade nos sites, blogs, portais e redes sociais diante da decisão proferida pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) concluiu as negociações com a Caixa Econômica Federal para postergar o pagamento de R$ 300 milhões em dívidas que venceriam neste ano para o período entre 2021 e 2024.

A Minerva concluiu a oferta de R$ 600 milhões em debêntures, em duas séries, vinculadas aos Certificados de Recebimento do Agronegócio (CRA).

O conselho de administração da Via Varejo aprovou a nomeação de Raphael Oscar Klein para o cargo de presidente do colegiado, e de Marcel Cecchi Vieira como vice-presidente.

A CCR negou que tenha negociado com a Latache para a venda de 50% da Rodovias do Tietê, mas disse que está atenta a oportunidades de negócios que permitam o fortalecimento de sua posição de liderança no setor em que atua.

O conselho de administração da BRF aprovou a reeleição dos membros da diretoria estatutária da empresa para um mandato até 30 de abril de 2022.

A Natura &Co informou que sua subsidiária Avon sofreu um ataque cibernético em seu ambiente de tecnologia da informação que interrompeu alguns sistemas e afetou parcialmente suas operações.