RADAR DO DIA: Mercados tentam sustentar alta após anúncio de estímulos

356

São Paulo – O último pregão da semana, que foi marcada por fortes perdas e pânico nos mercados em função da disseminação do Covid-19, nome do novo coronavírus, deve tentar sustentar a alta vista ontem, após o anúncio de estímulos por parte de Bancos Centrais (BCs) e a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de estabelecer uma linha de swap cambial de até US$ 60 bilhões com o Brasil.

O Banco Central Europeu (BCE), por sua vez, anunciou um novo programa de compra de ativos no valor de 750 bilhões de euros que incluirá títulos do setor público e privado em uma tentativa de mitigar os riscos ao mecanismo de transmissão da política monetária e as perspectivas para eurozona representadas pela pandemia do novo coronavírus.

No entanto, o avanço do coronavírus pelo mundo tem gerado grande preocupação e levado os investidores a um sentimento de cautela que tem impactado fortemente os mercados.

Por aqui, o Ibovespa encerrou a sessão de ontem em alta de 2,14%, aos 68.331,80 pontos, após novas medidas por bancos centrais e a possibilidade de novos tratamentos para o coronavírus ajudaram na alta, assim como a valorização das ações da Petrobras, que refletiram os fortes ganhos dos preços do petróleo.

Nesta manhã, os contratos futuros dos principais índice do mercado de ações dos Estados Unidos operam em alta após decisão de estímulos por parte do Fed. Os mercados europeus também sobem após o BCE anunciar um novo programa de compra de ativos no valor de 750 bilhões de euros.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações asiático fecharam o último pregão da semana em alta forte, com ganho de 5% em Hong Kong, refletindo medidas de bancos centrais em resposta aos impactos do coronavírus. A bolsa de Tóquio ficou fechada devido a um feriado.

Além disso, os investidores continuam de olho na crise do preço do petróleo, após a Arábia Saudita aumentar a produção e reduzir os preços praticados pela estatal Saudi Aramco depois do fracasso nas negociações entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e países aliados para uma redução coordenada da oferta da commodity. A iniciativa está relacionada ao impacto econômico do coronavírus.

CORPORATIVO

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) reportou lucro líquido consolidado de R$ 497,5 milhões no quarto trimestre de 2019, queda de 50,36% na comparação anual. Em 2019, o lucro líquido subiu 83,95% e somou R$ 3,127 bilhões na mesma base de comparação.

A Vale disse que após contato com autoridades locais, o Terminal Marítimo Teluk Rubian (TRMT), localizado na Malásia, pode continuar operando o normalmente, em meio ao Covid-19, nome do novo coronavírus.

As montadoras que fazem parte da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) estudam paralisar as operações nas fábricas, afirmou a entidade em um comunicado. O objetivo da paralisação é preservar a segurança e a saúde dos funcionários e familiares, segundo o grupo.

A AES Tietê disse que se reuniu com a Eneva e seus assessores financeiros para uma apresentação institucional referente à proposta hostil recebida para a combinação de negócios.

A diretoria da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) aprovou iniciativas para ajudar no combate ao Covid-19, nome do novo coronavírus, que vem se disseminando no Brasil.

A Klabin informou que está trabalhando ativamente em medidas de prevenção ao Covid-19, nome do novo coronavírus, e que para isso segue os protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) com reforço no protocolo de higiene e propagação de informações relevantes.

A Cyrela reportou lucro líquido de R$ 149 milhões no quarto trimestre de 2019, alta de 28,5% na comparação anual. A receita líquida no período caiu 7,4% e totalizou R$ 1,233 bilhão, na mesma base de comparação.

O conselho de administração da administradora de shopping centers Iguatemi autorizou a diretoria da empresa a contratar dois empréstimos, sendo um internacional no valor de R$ 100 milhões junto ao banco Santander Cayman, com juros de CDI mais 1,70% ao ano como juros. A operação terá prazo de 18 meses.

O outro empréstimo tem valor total de R$ 174,6 milhões, é um crédito imobiliário obtido junto ao Itaú Unibanco, com prazo de 12 meses, carência de dois anos e amortização em 10 anos.

O Grupo Renner decidiu fechar todas as suas lojas físicas por tempo indeterminado no Brasil, Uruguai e Argentina a partir de 20 de março. A decisão afeta as marcas Camicado, Youcom e Ashua.

O conselho de administração da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) aprovou a nomeação de Leonardo George de Magalhães para o cargo de diretor de Finanças e Relações com Investidores. Também foram nomeados Eduardo Soares como diretor de regulação e Jurídico e Rafael Falcão para o cargo de diretor da CemigPar.

O conselho de administração do Banco do Brasil (BB) informou que nomeará Joaquim José Xavier da Silveira para o cargo de membro independente do colegiado. Silveira é engenheiro, mestre em psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), e em Gestão Avançada pela Fundação Dom Cabral.

O conselho de administração da Hering autorizou a diretoria a contratar um empréstimo de R$ 80 milhões com o banco Santander. De acordo com a empresa, o empréstimo terá custo de CDI amis 4,30% ao ano, com prazo de carência de um ano, com o vencimento final em 24 de março de 2021.

O conselho de administração da Telefônica Brasil aprovou o pagamento de R$ 150 milhões em juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas. A cifra equivale a um provento de R$ 0,08330428104 por ação ordinária e de R$ 0,09163470914 para cada ação preferencial.