RADAR DO DIA: Mercados olham indicadores e desdobramentos do coronavírus

292

São Paulo – Os mercados ao redor do mundo operam sua maioria em alta, após o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) cortar a taxa de juros em 0,50 ponto percentual (pp), levando os juros norte-americanos para a faixa entre 1% e 1,25%. Porém, desdobramentos sobre o coronavírus devem dar o tom nas negociações, diante da expectativa de estímulos à economia por bancos centrais.

Além disso, divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e agenda pesada de indicadores nos Estados Unidos podem deixar os mercados voláteis. A expectativa do mercado é que a economia brasileira cresça 1,1% em 2019.

No exterior, a chamada Super Terça nos Estados Unidos mostrou uma surpresa com Joe Biden à frente de Bernie Sanders na corrida democrata a eleição americana. No Brasil, o destaque foi o adiamento pelo Congresso da votação do Orçamento.

Em relação à doença, por aqui temos dois casos confirmados até o momento. Ambos são de pessoas que viajaram para a Itália. O número de casos suspeitos subiu de 433 para 488. A maior parte dos casos e os únicos confirmados estão em São Paulo, com 130 pessoas que podem ter a doença. O segundo estado com maior número de casos suspeitos é o Rio Grande do Sul, com 82.

Na China, epicentro do surto, o número de mortes na China causadas por infecção pelo novo coronavírus subiu para 38, somando 2,981 mil, de acordo com a Comissão Nacional de Saúde do país. Ao todo, 80,270 mil casos foram confirmados em 31 províncias chinesas, sendo que há 520 casos suspeitos.

Na Itália, país europeu onde a doença avançou rapidamente, havia registrado mais de 2 mil casos, sendo que o número de mortos subiu para 79. O governo italiano deve injetar 3,6 bilhões de euros para tentar minimizar os impactos na economia.

Ontem, o Ibovespa encerrou em baixa de 1,02%, aos 105.537,14 pontos, com os investidores preocupados com a disseminação do novo coronavírus e com medo de um impacto maior do que o esperado do surto na economia dos Estados Unidos.

Os mercados asiáticos, por sua vez, fecharam o pregão desta quarta-feira em alta, após o governo da Coreia do Sul anunciar um pacote de US$ 9,8 bilhões para combater o coronavírus. O mercado europeu opera em elevação de olho em estímulos contra o surto da doença.

Os futuros norte-americanos, por sua vez, operam em alta após a vitória do ex-presidente Joe Biden em pelo menos sete das 14 primárias do partido Democrata. Os investidores também estão de olho no Livre Bege, embora a decisão de ontem do Fed tenha apagado um pouco sua divulgação.

CORPORATIVO

A Ultrapar projeta ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) entre R$ 3,490 bilhões e R$ 3,940 bilhões neste ano, sendo que a Ipiranga responderá pela maior parte deste valor.

A BR Distribuidora informou que concluiu a captação no valor de R$ 3,5 bilhões, como parte da estratégia de aumentar o prazo médio da dívida, principalmente em função do vencimento que acontecerá no dia 15 de abril no mesmo valor da captação.

A Engie concluiu a aquisição da Sterlite Novo Estado Energia, detentora do projeto do Lote 3 do Leilão de Transmissão de 2017 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

As exportações de carne bovina caíram 6% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês de 2019, atingindo 131,227 mil toneladas, informou a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) informou que apoiará a decisão dos funcionários da Petrobras na Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen-PR) de aceitar a proposta da companhia feita na semana passada, durante mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

O diretor de Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil (BB) apresentou ao conselho de administração do banco um pedido de renúncia ao cargo. Sua saída da instituição terá efeito a partir de 04 de março de 2020.

A joint venture formada pela Votorantim Energia e o fundo Canada Pension Plan Investment Board (CPP) vai investir cerca de R$ 2 bilhões na implantação dos complexos eólicos Ventos do Piauí II e III.

O conselho de administração da Natura aprovou a eleição de João Paulo Brotto Gonçalves Ferreira como diretor Financeiro e de Relações com Investidores, em substituição a José Antonio Filippo. O executivo acumulará o cargo de diretor presidente.