RADAR DO DIA: Mercados mostram recuperação após fala de Trump

209

São Paulo – Após o pânico visto ontem nos mercados, inclusive com a ativação do circuit brake na Bolsa brasileira, que encerrou em queda de 12,17%, aos 86.067,20 pontos, os negócios ao redor do globo mostram recuperação nesta manhã reagindo a fala do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a sinalização por parte do governo japonês de novos estímulos.

Ontem, o líder norte-americano afirmou que o governo está avaliando medidas para compensar as perdas provocadas pelo surto do novo coronavírus, entre elas o corte de impostos na folha de pagamentos e a manutenção das remunerações dos trabalhadores recompensados por hora.

A crise que levou os mercados mundiais a perdas históricas foi desencadeada pelo preço do petróleo, após a Arábia Saudita aumentar a produção e reduzir os preços praticados pela estatal Saudi Aramco depois do fracasso nas negociações entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e países aliados para uma redução coordenada da oferta da commodity.

A iniciativa está relacionada ao impacto econômico da epidemia do Codiv-19, nome da doença do coronavírus, que tem abalado os mercados e levado entidades a revisarem projeções da economia global em 2020.

O governo italiano, país europeu onde a doença avançou rapidamente, anunciou ontem medidas ainda mais restritivas em uma tentativa de conter o surto do novo coronavírus, ampliando a quarentena para todo o país.

A Itália está entre os principais países com o maior número de casos de Covid-19 depois da China. Até o momento, registrou mais de 9.172 mil casos, dos quais 463 foram fatais.

No Brasil, temos 25 casos de coronavírus confirmados até o momento, com os casos suspeitos atingindo 930. A cidade de São Paulo é onde está o maior número de casos confirmados com 16, seguida por três no Rio de Janeiro e dois na Bahia. Duas pessoas em São Paulo tiveram contato com o primeiro caso confirmado no país, o que mostra a transmissão doméstica da doença.

Na China, epicentro do surto, o número de mortes causadas por infecção pelo novo coronavírus subiu para 3,136 mil, de acordo com a Comissão Nacional de Saúde do país. Ao todo, 80,754 mil casos foram confirmados em 31 províncias chinesas.

Diante de novas ações para conter o surto do coronavírus, os mercados asiáticos fecharam o pregão em leve alta, amparados pela notícia de que o governo japonês deve anunciar em breve novas medidas de estímulos.

O mesmo pode ser visto nos mercados europeus e os futuros norte-americanos, que mostram recuperação depois da derrocada vista ontem e operam em alta após Donald Trump afirmar que o governo norte-americano está avaliando medidas para compensar as perdas provocadas pelo surto do novo coronavírus.

No dólar, o banco central brasileiro age para conter o avanço da moeda, que fechou ontem em alta de 2%, cotada a R$ 4,7270 para venda, na maior alta percentual desde 6 de novembro de 2019. A instituição anunciou um leilão de venda à vista de dólares para esta manhã no valor máximo US$ 2 bilhões.

Na agenda de indicadores o destaque fica por conta da divulgação da produção industrial brasileira e a produção agrícola, ambos divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Do lado político, o presidente Jair Bolsonaro disse ter provas de que recebeu votos suficientes para ser eleito no primeiro turno das eleições presidenciais de 2018. Na época, ele venceu as eleições após disputa de segundo turno com o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad.

No segundo turno, Bolsonaro foi eleito presidente com 55,1% dos votos válidos, contra 44,9% do adversário.

EMPRESAS

A Petrobras assinou contrato com a Eagle Exploração de Óleo e Gás contrato para a venda de suas participações em quatro campos terrestres na bacia de Tucano, na Bahia. O valor da transação é US$ 3,01 milhões.

A Petrobras ressaltou que segue com o processo de monitoramento do mercado internacional, mas que não há periodicidade pré-definida para a aplicação de reajustes nos preços dos combustíveis.

A Gol Linhas Aéreas informou que a assembleia geral extraordinária instalada no dia 5 de março, para votar sobre a reorganização da Smiles, será retomada no próximo dia 18. A reunião da Smiles, por sua vez, não foi instalada na semana passada por falta de quórum.

O conselho de administração da Telefônica aprovou a proposta de conversão da totalidade das 1,119 bilhão de ações preferenciais da companhia em ordinárias.

A Azul informou que suspenderá os voos que faz entre Campinas, no interior de São Paulo, e Porto, em Portugal. Segundo a empresa, a medida é temporária e acontecerá entre 16 de setembro e 21 de março do ano que vem, durante o período que compreende o inverno português.