RADAR DO DIA: Mercados devem reagir ao petróleo, EUA e política

161

São Paulo – Os mercados ao redor do globo devem operar majoritariamente em alta, após a forte recuperação vista no preço do petróleo. Além disso, os investidores estão atentos à relação entre Legislativo, Executivo e Judiciário que nos últimos dias tem sido de tensão com troca de farpas de todos os lados, além de desdobramentos sobre o coronavírus.

Em relação ao petróleo, nos últimos dias os preços dos contratos futuros operaram em queda, com exceção de ontem, com o WTI chegando a cair 30%, para seu menor nível em mais de 20 anos, na medida em que a pandemia do novo coronavírus derruba a demanda global e com o vencimento do contrato de maio esta semana.

Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump afirmou que o número de novos casos do novo coronavírus segue em queda no país, o que permitirá que os estados iniciem o processo de abertura econômica.

Internamente, o destaque é a aposta do mercado sobre um corte na taxa básica de juros, em meio à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, além da abertura da missão da Fitch no Brasil que pode ou não mexer no rating soberano.

Além disso, o governo lançou o programa Pró-Brasil de reocupação econômica pós coronavírus, que terá seu lançamento em larga escala a partir de outubro. O cronograma foi apresentado pelo ministro da Casa Civil, general Braga Neto.

O governo decidiu ainda revisar a previsão para privatizar a Eletrobras. A meta inicial era que a venda ocorresse até outubro de 2020 e foi revisada para até junho de 2021, afirmou o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar. Segundo ele, a meta de privatização de empresas de R$ 150 bilhões para 2020 não será cumprida.

Outra tema para ficar de olho é a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que aceitou pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para abertura de inquérito para apurar “fatos em tese delituosos envolvendo a organização de atos contra o regime da democracia participativa brasileira”, incluindo o apoio de deputados federais aos atos contra o Supremo e o Congresso Nacional durante o último fim de semana.

Em relação à pandemia causada pelo novo coronavírus, o número de mortes no mundo está em muito mais de 100 mil pessoas, de acordo com a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins, enquanto o número de casos no mundo já supera mais de 2 milhões de infectados. O Brasil possui 45,757 mil casos confirmados, enquanto 2,906 mil pessoas morreram por causa da doença.

Ontem, o Ibovespa encerrou em alta de 2,17%, aos 80.687,15 pontos, seguindo o otimismo externo com a expectativa de um acordo para o corte de produção de petróleo no mundo, além da proposta do governador de São Paulo João Doria para o início gradual do fim da quarentena a partir de 11 de maio.

Nesta manhã, os contratos futuros dos principais índice do mercado de ações dos Estados Unidos apontam para uma abertura no campo positivo, reagindo a alta vista no preço do petróleo e no aguardo dos dados de seguro-desemprego.

Na Europa, as bolsas operam mistas de olho na recuperação do preço do petróleo e com sinais de que a Opep+ pode aprofundar mais o corte de produção. Na Ásia, por sua vez, os principais índices do mercado de ações fecharam o pregão em sua maioria em alta, refletindo o preço do petróleo e novos desdobramentos sobre o novo coronavírus.

EMPRESAS

A divulgação semanal de tráfego da Ecorodovias, prática exercida durante o período de crise causado pela pandemia do Covid-19, nome do novo coronavírus, mostra os números consolidados de veículos equivalentes pagantes entre os 16 de março e 21 de abril e o acumulado de 2020. Os resultados estão sujeitos a revisão.

O preço de venda de imóveis comerciais registrou queda 0,13% % em março, enquanto o preço médio de locação de salas e conjuntos comerciais caiu 0,06%, ambos em relação ao mês anterior, de acordo com o Indice FipeZap. No período, a inflação medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) teve variação positiva de 0,07%.

O volume total de energia vendida pela Equatorial Energia atingiu 5.580 gigawatts-hora (GWh) no primeiro trimestre de 2020, alta de 6,2% na comparação anual, sendo 4.842 GWh do mercado cativo, alta de 4,6%, e 698 GWh no mercado livre, uma elevação de 18,2% na mesma base de comparação.

O conselho de administração da MRV aprovou a emissão de 21 notas promissórias, divididas em duas séries, pelo valor nominal de R$ 3 milhões da primeira série e R$ 9,7 milhões da segunda série, perfazendo o montante total de R$ 100 milhões.

A Petrobras informou que atualmente possui 261 colaboradores, entre próprios e terceirizados, contaminados pela novo coronavírus. Segundo a estatal, desde o começo da pandemia mais de 2 mil pessoas apresentaram algum tipo de sintoma respiratório, sendo que 551 casos já foram descartados.

A BR Malls retomou as operações nos shoppings Iguatemi Caxias do Sul (RS) e Campo Grande (MS). Os estabelecimentos vão funcionar com horário reduzido, das 12h às 20h, e a reabertura seguirá protocolos rígidos relativos à sanitização dos empreendimentos, seguindo as recomendações das autoridades de saúde.

A agência de classificação de riscos S&P Global Ratings revisou suas metras de crédito para as empresas brasileiras que atuam no setor de siderurgia, devido aos impactos da pandemia de coronavírus sobre o setor.

Os acionistas da Hypera aprovaram, durante assembleia ordinária, os nomes de Marcelo Curti, Edgard Massao Raffaelli, Roberto Daniel Flesch, Rodrigo Aparecido Leme de Oliveira, Mauro Stacchini Junior e Luiz Alexandre Tumolo como membros e suplentes do conselho fiscal. Os nomes possuem mandatos de um ano.