RADAR DO DIA: Investidores repercutem acordo EUA-China

133

São Paulo – Finalmente Estados Unidos e China assinaram a primeira fase do acordo comercial entre os dois países, que foi classificado pelo presidente norte-americano, Donald Trump, como histórico, embora as negociações tenham sido complexas e difíceis.

Para Trump, a primeira fase é um passo importante na direção de uma relação mais justa no comércio com a China. Pelo lado chinês, o presidente Xi Jinping afirmou, em carta, que a conclusão da primeira fase do acordo é boa para China, para os Estados Unidos e para o mundo todo.

A boa notícia com a assinatura entre Estados e Unidos não foi capaz de influenciar o Ibovespa, que encerrou o pregão de ontem em queda de 1,03%, aos 116.414,35 pontos, refletindo a frustração do mercado com dados mais fracos de vendas no varejo, que trouxeram dúvidas sobre o ritmo da recuperação da economia doméstica.

Na agenda de indicadores o destaque é o índice de atividade econômica (IBC-Br) do Banco Central, referente a novembro, que pode dar mais um sinal sobre o comportamento da economia. O Termômetro CMA aponta que o índice deve cair 0,10%. No exterior, os investidores devem ficar de olho nos dados de seguro-desemprego, vendas no varejo e atividade industrial dos Estados Unidos.

Lá fora, os índices asiáticos fecharam mistos acompanhando o acordo comercial entre a China e os Estados Unidos. Os futuros de Nova Iorque, por sua vez, operam no positivo aguardando dados chineses e resultados corporativos que serão divulgados antes da abertura.

Internamente o que chama a atenção é reportagem da “Folha de S.Paulo” que mostra que um funcionário da Secom, responsável pelas verbas do Planalto para a área de comunicação, recebeu repasses de emissoras de TV  como Record e Band, por meio da empresa FW, do qual é acionista majoritário.

De acordo com a reportagem, o presidente Jair Bolsonaro ficou incomodado com o caso e marcou reuniões para discutir o futuro do secretário de Comunicação do governo federal, Fábio Wajngarten.

Além disso, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspendeu por 180 dias, no caso seis meses, a aplicação do chamado juiz de garantias. A decisão é liminar e foi baseada em ações que questionam a medida, atendendo parcialmente aos pedidos.

CORPORATIVO

A Arábia Saudita habilitou duas plantas da Minerva localizadas no Paraguai, que são de propriedades da Athena Foods, para exportação de carne bovina ao país. Juntas, as unidades possuem capacidade de abate de 2.200 cabeças de gado por dia.

O conselho de administração da Minerva aprovou a oferta pública primária de 80 mil ações ordinárias e 15 mil ações secundária de ações ordinárias, nominativas, sem valor nominal. A oferta leva em conta o preço de fechamento do dia no valor de R$ 14,40 por ação, podendo totalizar R$ 1,368 bilhões.

A Klabin anunciou a emissão de US$ 200 milhões em notas de títulos dívida, por meio da subsidiária Klabin Áustria, com yield de 6,10% ao ano e vencimento em 2049. Os recursos captados serão destinados ao financiamento ou refinanciamento de custos e ou investimentos em projetos verdes elegíveis.

A Petrobras disse que iniciou a etapa de divulgação da oportunidade, referente à venda da totalidade de sua participação em dois conjuntos de concessões marítimas em águas profundas no Polo Golfinho e Polo Camarupim, ambas no pós-sal, localizados na Bacia do Espírito Santo.

O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone, disse que antecipará o seu mandato, previsto para acabar em dezembro deste ano, diante da nova fase de ajustar a regulação a um novo modelo do setor.

O número de novas unidades residenciais vendidas em novembro, na cidade de São Paulo, foi de 4,974 mil unidades, alta de 29,4% na comparação com o mesmo período de 2018, e elevação de 43,5% na comparação mensal, conforme apurado pela Pesquisa do Mercado Imobiliário do Secovi-SP.