RADAR DO DIA: Investidores adotam cautela com avanço da covid-19

Gráfico

São Paulo – As bolsas internacionais operam perto da estabilidade hoje, próximas a00 máximas históricas, divididas entre a expectativa de recuperação da economia mundial e a cautela dos investidores com o cenário atual – que ainda é de restrições ao funcionamento de empresas e à circulação de pessoas por causa da pandemia de covid-19.

O mercado também aguarda a divulgação, às 15h, da ata da mais recente reunião de política monetária do banco central dos Estados Unidos, o Federal Reserve. O documento pode revelar se todas as autoridades da instituição consideram a alta nos juros da dívida dos Estados Unidos um movimento saudável, como argumenta o presidente do Fed, Jerome Powell, ou se ela contém também elementos de risco futuro, como apontam alguns analistas.

No Brasil, o Senado pode votar a partir das 16h projetos de lei que autorizariam o governo a quebrar a patente de vacinas contra a covid-19 e a prorrogar até o final do ano programas para a manutenção de emprego da população.

Ontem, o país bateu novo recorde em números de óbitos diários pela covid-19. Foram registradas 4.211 mortes nas últimas 24h. O número total de mortos pela pandemia de coronavírus no Brasil é de 337.354.

Já o número de brasileiros vacinados com as duas doses das vacinas contra a covid-19 que estão à disposição no país – e que, portanto, completaram o ciclo de imunização – chegou a 5,1 milhões, ou o equivalente a 2,4% da população, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Os que tomaram apenas uma dose somam 17,8 milhões, ou 8,4% da população.

O ritmo de vacinação em abril até ontem é de 615,8 mil doses por dia, abaixo da meta do governo federal, de 1 milhão de pessoas por dia.

Hoje o governo federal realiza a 6ª rodada do leilão de concessão de 22 aeroportos das regiões Central, Norte e Sul do país. O evento acontecerá na B3, em São Paulo, às 10h.

Em âmbito corporativo, a Hapvida disse que estuda a realização de eventuais captações de recursos para financiar investimentos, novas aquisições e fortalecer a posição do caixa.

O Bradesco respondeu questionamento feito pela Superintendência de Relações com Empresas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre uma matéria do jornal “O Estado de S.Paulo”, que diz que a Elo comprará a própria marca por R$ 400 milhões para IPO. O banco afirmou que conversa com acionistas a respeito de uma operação envolvendo a Elo Serviços, mas que até agora não há qualquer decisão concreta ou deliberação.

A Petrobras disse que a transição da operação do plano de saúde AMS para a Associação Petrobras de Saúde (APS) não gerou efeitos contábeis no quarto trimestre de 2020 com a criação da APS e que o impacto nas demonstrações financeiras derivou das mudanças na proporção do custeio do Plano AMS trazidas pela assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2020-2022.

A Qualicorp celebrou contratos para a aquisição das carteiras de planos privados de assistência à saúde atendidas pela Unimed em Barra Mansa, no Rio de Janeiro e Natal, no Rio Grande do Norte, que totalizam 10,2 mil vidas.

O conselho de administração do Bradesco elegeu Marina Claudia Gonzalez Martin de Carvalho ao cargo de diretora da companhia, com mandato até 2022.

A Smiles pagará em 16 de abril os dividendos intermediários aos acionistas no valor de R$ 500 milhões, correspondentes a R$ 4,0270958 por ação ordinária, aprovados em reunião do conselho de administração da companhia realizada em 25 de março.

O conselho de administração da subsidiária da Ecorodovias, a Ecorodovias Concessões e Serviços, aprovou o pagamento de dividendos intermediários de 2021 aos acionistas, de R$ 2 milhões, equivalente a R$ 0,002714756 por ação, que deverá ser aprovado em assembleia geral ordinária.

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque, e outras pessoas, por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro praticados em favor da estatal, e pediu a reversão de R$ 153 milhões à companhia, na segunda denúncia oferecida no âmbito da Lava Jato do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado.

A Petrobras assinou com o Ministério Público Federal (MPF) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para retirada completa de equipamentos armazenados em chamados almoxarifados submarinos, na Bacia de Campos (RJ). O acordo também inclui o pagamento de R$ 20,057 milhões para compensação ambiental pelo tempo em que os almoxarifados submarinos foram utilizados de maneira irregular e demais danos causados.