RADAR DO DIA: Inflação, demissão de Salles e Covaxin

São Paulo – As bolsas operam em alta no exterior, impulsionadas por indicadores positivos sobre a atividade econômica, que serviram para deixar em segundo plano as preocupações com uma potencial remoção antecipada dos estímulos de bancos centrais ao crescimento.

Na Europa, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) manteve a taxa básica de juros do Reino Unido inalterada em 0,1% e os estoque de compras de ativos em 895 bilhões de libras, ao mesmo tempo em que alertou que as pressões para cima sobre os preços devem ser transitórias.

No Brasil, o Banco Central (BC) elevou a previsão para a inflação em 2021 em 0,8 ponto porcentual (pp), para 5,8%, segundo dados divulgados na edição de junho do Relatório Trimestral de Inflação (RTI). A previsão está 0,55 pp acima do teto da meta prevista para este ano.

O cenário político entra no radar dos investidores hoje após a demissão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que é alvo de investigações no Supremo Tribunal Federal (STF) e também de mandados de busca e apreensão e quebra de sigilo bancário. As investigações tentam apurar suposto esquema de desmatamento ambiental na Amazônia e crimes contra a administração pública ligado ao setor madeireiro.

Outro assunto que também agita Brasília é a denuncia feita pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), de que haveria um esquema de corrupção para a compra da Covaxin (vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech e que seria distribuída no Brasil pela Precisa).

O senador Omar Aziz (PSD-AM) que preside a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga erros e omissões do governo no combate à pandemia, classificou como gravíssimas as denúncias feitas pelo deputado. Miranda será ouvido na CPI amanhã (25).

Na agenda do dia, investidores ficam de olho na entrevista coletiva do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a partir das 11h.

Em âmbito corporativo, o Fleury informou que o ataque cibernético sofrido ontem (23) não afetou a base de dados e que o atendimento em todas as unidades da companhia segue acontecendo por meio de soluções de contingência para garantir a prestação de serviços aos clientes.

A Caixa Cartões, subsidiária da Caixa Econômica Federal, solicitou autorização ao Banco Central para aumento de participação acionária no capital social da Elo Serviços por meio de compra de ações, conforme previsto no acordo de acionistas da Elo.

O conselho de administração da Iguatemi Empresa de Shopping Centers aprovou, em reunião realizada ontem (23), a emissão de 500 mil debêntures, com valor unitário de R$ 1 mil, perfazendo o total de R$ 500 milhões.

O Banco do Brasil vai destinar R$ 135 bilhões para a safra 2021/2022, 17% a mais que o volume aplicado na safra anterior, operando com as taxas divulgadas no anúncio do Plano Safra do Ministério da Agricultura, na última terça-feira, 22, informou, em nota.

A Sul America pagará R$ 764,9 mil aos acionistas em 29 de junho pela venda de ações em leilão realizado na B3 em 8 de junho.

A Vale alterou o valor bruto final dos dividendos por ação para R$ 2,1896700641, devido a alteração do número de ações em circulação, em função do programa de recompra de ações ordinárias da companhia anunciado em 1 de abril. O valor total passou para R$ 11,6 bilhões e a data do pagamento foi mantida em 30 de junho.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) realizam na próxima sexta-feira (25), a partir das 10h, os leilões para a contratação de energia gerada por usinas termelétricas a gás natural e carvão mineral, com início de suprimento de energia em 2025 e 2026 e término em 2039 e 2040.

O mercado de instrumentos financeiros rotulados como “ESG” (sigla em inglês para práticas ambientais, sociais e de governança) deve movimentar US$ 20 bilhões este ano, o dobro de 2020, com forte demanda na área de infraestrutura e energias renováveis e atuação dos bancos na estruturação das operações, segundo dados apresentados ontem pela Sitawi, em evento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).