RADAR DO DIA: Expectativa por Copom; atenção a Petro e Bradesco

São Paulo – Os investidores devem ser tomados pelo sentimento de cautela, no aguardo da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que, de acordo com o Termômetro CMA, deve fazer um corte de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros, ficando em 4,25%.

Além disso, continua no radar os desdobramentos referentes ao coronavírus. Há relatos de que cientistas no Reino Unido e na China fizeram avanços no desenvolvimento de uma vacina para a doença.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a economia do país está melhor do que nunca e que sua estratégia comercial com a China funcionou, no último discurso Estado da União de seu mandato. Ele também prometeu combater a imigração ilegal e acabar com a participação do país nas guerras no Oriente Médio.

Outro dado que trazer certa volatilidade aos mercados é a oferta de até 734.202.699 ações ordinárias da Petrobras que estão sob a titularidade do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que pode render cerca de R$ 23,1 bilhões.

Ontem, o Ibovespa fechou em alta de 0,80%, aos 115.556,71 pontos, refletindo o movimento de recuperação de Bolsas no exterior em meio a um arrefecimento da preocupação com o coronavírus, medidas tomadas pelo governo chinês para apoiar a economia e balanços corporativos positivos.

Os mercados chineses reagiram positivamente a uma possível vacina para conter o coronavírus, além dos estímulos do governo chinês ao mercado, como forma de liquidez. As bolsas europeias, por sua vez, abriram operando em alta, enquanto os futuros norte-americanos apontam para uma abertura em alta, de olho na China e notícia local.

Internamente, do lado político, a Câmara dos Deputados aprovou ontem à noite o Projeto de Lei 23/20, que estabelece as medidas a serem adotadas pelas autoridades sanitárias em caso de emergência de saúde pública provocada pelo coronavírus. A proposta prevê isolamento, quarentena e fechamento de portos, rodovias e aeroportos para entrada e saída do País.

EMPRESAS

No âmbito corporativo, o lucro líquido recorrente do Bradesco, que exclui ganhos ou perdas com itens extraordinários, cresceu 13,97% no quarto trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 6,645 bilhões. Resultado foi levemente pior do que a média dos levantamentos coletados pela Agência CMA, que esperavam um lucro líquido de R$ 6,721 bilhões.

O Bradesco divulgou guidance de suas operações para 2020, prevendo uma alta entre 9% a 13% na carteira de crédito expandida, enquanto as despesas com provisão para devedores duvidosos (PDD) devem ficar entre R$ 13,5 bilhões e R$ 16,5 bilhões.

A diretoria do Bradesco propôs o pagamento de R$ 490,9 milhões em dividendo completar aos já distribuídos em 2019, o equivalente a R$ 0,058213963 por ação ordinária e R$ 0,064035359 por ação preferencial.

A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) informou que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) decidiu, após analisar as exigências questionadas pela subsidiária Nova Dutra, determinar a redução em 5,26% da tarifa básica de pedágio de todas as praças compreendidas pela rodovia.

A Eletrobras afirmou que enquanto gestora da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) fazia apenas o reembolso do custo de aquisição de carvão com base nas notas fiscais apresentadas pelas empresas detentoras desse direito, com base nos contratos de compra do insumo.

A Petrobras afirmou que iniciou a fase vinculante referente à venda de 100% das ações detidas pela Petrobras Uruguay Sociedad Anónima de Inversiones (PUSAI) no Uruguai. A empresa disse que os potenciais compradores vão receber carta convite com as instruções do processo.

A Oi, em recuperação judicial, disse que concluiu a subscrição da primeira emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da subsidiária Oi Móvel, no valor de R$ 2,5 bilhões, prevista no plano de recuperação.

O total de energia vendida pela Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), composto pelas vendas da Copel Distribuição, da Copel Geração e Transmissão, dos Complexos Eólicos e da Copel Comercialização em todos os mercados, atingiu 12.551 gigawatts-hora (GWh) no quarto trimestre de 2019, alta de 10,8% em relação ao mesmo período de 2018.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a incorporação da Sociedade de Propósito Específico (SPE) Transmissora Delmiro Gouveia pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf).