RADAR DO DIA: Cautela deve prevalecer antes do Fed

211
Foto: Krzysztof Baranski / freeimages.com

São Paulo – O dia mais aguardado pelos investidores chegou. Mais tarde o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) divulgará sua política monetária e revelar possíveis novos estímulos diante da crise causada pelo coronavírus. Internamente, o destaque é a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio.

Estimativas calculadas pelo Termômetro CMA apontam que o IPCA deve cair pela segunda vez seguida, em 0,45% em maio, intensificando o ritmo de queda apurado em abril e registrando a menor taxa para o mês bem como a segunda maior deflação do plano Real, atrás apenas do apurado em agosto de 1998 quando caiu 0,51%.

No caso do Fed, as projeções feitas pela CMA mostram que a taxa básica de juros deve ficar na faixa entre zero e 0,25% e descartar o uso de taxas negativas, ao mesmo tempo em que deve reiterar a importância de orientações futuras.

Por aqui, um pedido de vista apresentado pelo ministro Alexandre de Moraes interrompeu ontem o julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de duas ações ajuizadas contra o presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão. Elas pedem a cassação da chapa formada por ambos nas eleições de 2018.

Por outro lado, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Og Fernandes, vai analisar nos próximos dias se inclui provas colhidas no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre notícias falsas em ações contra o presidente Jair Bolsonaro abertas pelo PT, o PCdoB e o Pros.

O desagravo entre Legislativo e Judiciário continua no radar após a Polícia Federal (PF) deflagrar a operação das fakes news, que teve como alvo bolsonaristas declarados, entre eles Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang e a deputada federal Carla Zambelli.

Após atos violentos entre manifestantes pró e contra Bolsonaro uma semana antes, no domingo que passou foi possível ver manifestações pacíficas a favor da democracia e contra o racismo, após o governo de Jair Bolsonaro tentar mudar a forma de divulgação dos dados relacionados ao coronavírus. Diante da pressão o governo voltou atrás e divulgará os dados completos.

O fato positivo da semana, por enquanto, é que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu manter o corte histórico na produção mundial de petróleo em quase 10% em vigor desde o dia 1º de maio para impedir a queda nos preços da commodity como resultado da crise do novo coronavírus até 31 de julho.

Nos Estados Unidos às atenções seguem voltadas para os protestos contra a violência policial e o racismo, após a morte de George Floyd, um homem negro, que foi morto por enforcamento por um policial branco.

Para conter os protestos, as forças de segurança norte-americanas intensificaram os esforços com a adoção de toque de recolher em diversas cidades do país. O presidente Donald Trump chegou até a cogitar colocar o exército na rua para conter os atos.

Além disso, a crise entre Estados Unidos e China continua no radar dos investidores. O país asiático aprovou uma resolução que autoriza a elaboração de uma nova lei de segurança nacional para Hong Kong abrindo um precedente para uma colisão entre Pequim e Washington, uma vez que Trump já afirmou que estuda possíveis sansões em retaliação à atitude chinesa.

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê contração de 7,6% na economia global este ano, caso haja uma nova onda de infecções pelo novo coronavírus, uma revisão para baixo após a previsão de alta de 2,4% divulgada em março.

Em relação à pandemia causada pelo novo coronavírus, o número de mortes no mundo está em mais de 404 mil pessoas, de acordo com a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins, enquanto o número de casos no mundo já ultrapassou 7 milhões de infectados. O Brasil possui 742 mil casos confirmados, enquanto 38,497 mil pessoas morreram por causa da doença.

Ontem, o Ibovespa encerrou em queda de 0,91%, aos 96.746,55 pontos, em linha com a pausa vista na maioria das bolsas no exterior, com investidores aproveitando para embolsar lucros depois de sete dias seguidos de alta, sequência que não acontecia desde fevereiro de 2018.

Nesta manhã, os contratos futuros de ações dos Estados Unidos mostram uma abertura no campo negativo, após uma sequência de altas impulsionado pelo otimismo da recuperação global mais rápido que o esperado, com o foco na reunião do Fed e a divulgação de relatório pela OCDE com a perspectiva da economia global.

Na Europa, as principais bolsas operam em baixa em clima de cautela antes do Fed e digerindo dados de algumas economias da região, realizando lucros depois de recentes ganhos.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações fecharam sem direção comum, com os investidores à espera da decisão de política monetária do Fed.

EMPRESAS

A BR Distribuidora afirmou que o pagamento de R$ 540,3 milhões referentes a juros sobre capital próprio (JCP), previsto para ser pago até o dia 30 de junho foi adiado para até 30 de dezembro de 2020. O valor ainda depende de aprovação da assembleia geral de acionistas.

A agência de classificação de risco Moody’s disse que as fortes métricas de crédito da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) são ainda suportadas pela forte governança corporativa e pelo seu histórico de acesso aos mercados bancário e de capitais em tempo hábil para cumprir seu programa de investimento.

A Cielo informou que fechou um acordo com a Carson, controlada do Bradesco, que compõe o seu grupo de controle, para serviço relacionado à disponibilização de plataforma de pagamento para oferta de produtos e serviços. O valor do acordo é de R$ 64 milhões.

A Petrobras informou que prorrogou até o dia 18 de junho o prazo para que as empresas expressam o interesse em concessões de blocos no Espírito Santo, no qual a estatal detém participação entre 40% e 50%.

A companhia aérea Azul informou que aumentará para 240 o número de decolagens diárias em julho, nos dias de maior demanda, contra a média de 115 decolagens por dia programa para o mês de junho.

O Conselho do Programa de Parceria de Investimentos (CPPI) marcou para amanhã, 10, a reunião que vai discutir sobre o relatório do Comitê Interministerial que trata do modelo operacional e jurídico para a viabilização da usina termonuclear de Angra 3.

O tráfego de passageiros da Azul aumentou 51,6% em maio, na comparação com abril, para 328 milhões de passageiros por quilômetros transportados (RPK) – número de passageiros pagantes multiplicados pela distância de cada voo.

A administradora de shopping centers Multiplan lançou hoje um canal de venda direta, visando aprimorar o serviço de drive-thru e delivery oferecido em seus shopping centers, trazendo ainda mais comodidade e facilidade durante a compra.