RADAR DO DIA: Avanço da variante delta da covid e Petrobras

Foto: energepic.com / Pexels

São Paulo – O aumento no número de infecções causadas pela variante delta do coronavírus limitou os ganhos de ações e commodities, o que leva as bolsas nos exterior a registrarem queda na manhã de hoje.

Os investidores também começam a semana atentos ao início da temporada de balanços dos Estados Unidos, que terá resultados dos maiores bancos do país.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações fecharam em alta, com avanço de mais de 2% em Tóquio refletindo o otimismo com a recuperação econômica global, e ganhos em Xangai após o corte de compulsório bancário pelo banco central chinês.

As ações subiram na bolsa japonesa puxadas por fabricantes de robôs e maquinários, seguindo os ganhos de sexta-feira em Wall Street e em meio a sinais de recuperação econômica e de investimentos de empresas.

No Brasil, os mercados financeiros retomam os trabalhos após um feriado em São Paulo na última sexta-feira, com os investidores ainda de olho nos embates entre o governo, o Congresso e o Supremo.

Em âmbito corporativo, a Gol Linhas Aéreas Inteligentes prevê uma margem ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) entre 16% e 18% para o segundo trimestre, na comparação anual, além de uma receita unitária de passegeiro 17% menor, também em base anual.

O Banco Inter terminou o segundo trimestre com 12 milhões de clientes, um crescimento de 102,8% na comparação com o mesmo intervalo de 2020, com média de 30,2 mil contas abertas por dia útil, segundo prévia operacional divulgada pela instituição.

O número de clientes com saldo em conta subiu 12%. Esse saldo é, em média, de R$ 1,31 mil, com crescimento anual de 25%.

A Petrobras assinou o contrato de venda de sua participação no campo de produção Papa-Terra, na Bacia de Campos, para a 3R Petroleum Offshore, por US$ 105,6 milhões. A estatal receberá US$ 6 milhões à vista, US$ 9,6 milhões no fechamento da transação e US$ 90 milhões em pagamentos contingentes previstos em contrato, relacionados a níveis de produção do ativo e preços futuros do petróleo. A venda ainda precisa da aprovação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).