Radar do Dia: Avanço da vacinação no mundo e estímulo fiscal nos EUA

176

São Paulo –  As bolsas da Europa e os futuros dos índices de ações norte-americanos operam com leve alta com investidores de olho no avanço da vacinação contra o coronavírus pelo mundo e a possibilidade da aprovação de uma pacote de estímulos fiscais pelo governo dos Estados Unidos.

Ainda nos Estados Unidos, o Colégio Eleitoral confirmou Joe Biden como no novo presidente do país depois que a Califórnia deu os seus 55 votos eleitorais ao democrata. Agora, o Congresso deve validar a votação no dia 6 de janeiro e, se não houver nenhuma discordância, Biden toma posse no dia 20 de janeiro do próximo ano.

Na Europa, A taxa de desemprego do Reino Unido nos três meses terminados em outubro subiu para 4,9%, seu maior nível desde meados de 2016, após a alta de 4,8% do trimestre até setembro, segundo dados do escritório federal de estatísticas do país, o National Statistics. O número de pessoas desempregadas somou 1,865 milhão nos três meses até
outubro, 241 mil a mais do que nos três meses até setembro.

No Brasil, as atenções estão voltadas em relação a questão fiscal e também na possibilidade da prorrogação do auxílio emergencial. Ontem, o presidente Jair Bolsonaro confirmou a liberação de R$ 20 bilhões para vacinas e disse que as pessoas terão de assinar um termo de responsabilidade para tomar o imunizante conta a covid-19.

Em âmbito corporativo, O conselho de administração da Cielo aprovou a eleição de Júlio Almeida Gomes como vice-presidente de experiência do cliente. Ele tomará posse efetiva do cargo após homologação de sua eleição por parte do Banco Central.

O conselho de administração da Copel avaliou a participação no leilão de transmissão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que acontecerá nesta quinta-feira (17), e encaminhou o assunto para análise da diretoria.

A Vale informou que um incêndio se iniciou ontem nas instalações da companhia em Nova Caledônia, conforme protestos continuaram nas áreas da empresa e em suas proximidades.

A 7a. Vara Empresarial do Rio de Janeiro homologou a proposta de R$ 16,5 bilhões, feita pelo consórcio formado pelas operadoras Telefonica Brasil, TIM Brasil e Claro pela unidade móvel da Oi, em recuperação judicial. Não houve proposta concorrente.

Do valor total da proposta, R$ 15,75 bilhões correspondem ao preço base da oferta, R$ 756 milhões a serviços de transição a serem prestados por até 12 meses pela Oi às compradoras, acrescido do compromisso de celebração de contratos de longo prazo de prestação de serviços de capacidade de transmissão junto à Oi, na modalidade take or pay, cujo valor presente líquido (VPL) é de R$ 819 milhões. Os valores que serão pagos em dinheiro e a unidade será dividida em três sociedades de propósito específico (SPEs) distintas.

A TIM disse que desembolsará 44% do preço base e serviços de transição, ou R$ 7,3 bilhões, e ficará com o correspondente a 14,5 milhões de clientes (40% da base total), de acordo com a base de acessos da Anatel em abril, 49 MHz das radiofrequências (54% do total) e 7,2 mil sites de acesso móvel (49% do total).

A Telefônica Brasil pagará R$ 5,5 bilhões, ou 33% do preço base, e terá 10,5 milhões de clientes (cerca de 29% do total), de acordo com a mesma base de acessos da Anatel, 43 MHz em espectros como média nacional ponderada pela população (46% das radiofrequências da Oi Móvel e infraestrutura de 2,7 mil sites de acesso móvel em contratos de uso (19% do total).

Já a Claro informou que desembolsará R$ 3,7 bilhões, cerca de 22% do preço de compra e caberá à companhia 32% da base total de clientes da Oi Móvel e aproximadamente 4,7 mil sites de acesso móvel (32% do total).

A conclusão da transação está sujeita à anuência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), além de estar sujeita à verificação de outras condições previstas no contrato. As operadoras esperam a conclusão da operação no decorrer do ano de 2021.

O conselho de administração da Cielo aprovou a eleição de Júlio Almeida Gomes ao cargo de diretor sem designação especifica (vice-presidente executivo de experiência do cliente), com posse efetiva após homologação pelo Banco Central.

A Eletrobras encerrou sete sociedades de propósito específico (SPEs) de energia eólica não operacionais pertencentes ao Complexo Punaú, localizado no Estado do Rio Grande no Norte.

A Ultrapar (UGPA3) disse que está avaliando alternativas estratégicas para a Oxiteno, que incluem o potencial desinvestimento, em esclarecimento à notícia veiculada na mídia. Ontem as ações da compania chegaram a subir 4% após a informação divulgada pela “Bloomberg” de que a empresa estuda vender a subsidiária por mais de US$ 1 bilhão.

O Itaú Unibanco informou que o Banco Central (BC) aprovou a eleição de Renato Lulia Jacob ao cargo de diretor de Relações com Investidores. Até a sua posse, a responsabilidade será mantida com o diretor executivo Alexsando Broedel Lopes.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) liberou a sexta parcela do empréstimo da Conta Covid às distribuidoras impactadas pela pandemia, no valor de R$ 574,5 milhões. No total, os repasses somam R$ 14,5 bilhões, ou 98% do total.

As ações da Cogna (COGN3) fecharam entre as maiores quedas do Ibovespa, de 5,74%, a R$ 5,01, depois que a companhia divulgou novas projeções para os próximos quatro anos. Em evento para investidores, o Cogna Day, os executivos da empresa disseram que, devido à aceleração da tendência de crescimento do ensino à distância (EAD) durante a pandemia de covid, o portfólio dos cursos de graduação presenciais da Cogna deve passar a ser focado em cursos considerados mais nobres.