RADAR DO DIA: Avanço da covid-19 na China e tensão política nos EUA

São Paulo – As bolsas iniciam a semana em queda com o aumento dos casos de covid-19 na China. Ontem, o país asiático registrou ontem mais de 100 novos casos de covid-19, algo que não acontecia há meses.

Outro fator que afeta os mercados é a tensão política nos Estados Unidos e do aumento nas taxas projetadas por títulos da dívida norte-americana no mercado secundário, que diminui o apelo dos investimentos em ações.

A Câmara dos Deputados deve votar um processo de impeachment do atual presidente do país, Donald Trump. Além disso, investidores apostam que a economia norte-americana está prestes a enfrentar um ressurgimento da inflação, motivado pela liberação de novos pacotes de estímulo pelo Congresso em paralelo aos que já estão sendo adotados pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

No Brasil, os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) revisaram a projeção para a taxa básica de juros (Selic) ao fim deste ano, subindo de 3,00% para 3,25%, segundo o relatório de mercado Focus, do BC. Já em 2022, após 19 semanas de manutenção, a estimativa subiu de 4,50% para 4,75%. Enquanto em 2023, segue a aposta de 6,00%, há 11 semanas seguidas.

Outro destaque do documento é a previsão de alta do Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao fim deste ano, que subiu de 3,32% para 3,34%, voltando ao nível de um mês atrás. Em relação ao fim de 2020, a previsão oscilou em baixa pela segunda vez seguida, de +4,38% para +4,37%. Para 2022 e 2023, as projeções foram mantidas, em +3,50% e +3,25%, respectivamente, há 76 e 26 semanas.

A Anvisa deu início à análise de uso emergencial da vacina da Fiocruz contra a covid, mas pediu mais documentos ao Instituto Butantan antes de começar a avaliação da CoronaVac.

Em Brasília, a disputa pela presidência da Câmara segue em foco depois que o PT ameaçou retirar seu apoio a Baleia Rossi (MDB-SP), candidato apoiado pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se ele recuar no compromisso de analisar denúncias contra o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em âmbito corporativo, as operadoras de planos de saúde Hapvida e da NotreDame Intermédica confirmaram negociações para uma possível fusão, em uma operação de cerca de R$ 100 bilhões e que criaria mais uma gigante no setor, fazendo frente a Rede D’Or. As ações das das companhias chegaram a subir 20% após a notícia da possível fusão e entraram em leilão na B3 com a divulgação dos fatos relevantes. Hoje as companhias farão uma teleconferência, às 15h, para dar mais detalhes do assunto.

A agência de classificação de risco S&P Global Ratings retirou, a pedido da companhia, a nota de crédito da Transmissora Alianca de Energia Eletrica (Taesa) que, no momento da retirada, era ‘BB-‘ com perspectiva estável. A companhia encerrou o contrato de classificação e monitoramento de risco de crédito com a agência.

A Multiplan informou que a partir de segunda-feira, dia 11 de janeiro, acompanhará a determinação das autoridades de Belo Horizonte, Minas Gerais, e somente permitirá operações de serviços essenciais nos shoppings administrados pela companhia. Conforme decreto municipal, as demais atividades comerciais estão suspensas no município.

A Engie informou distribuição de dividendos e juros sobre o capital próprio aos acionistas no valor total de R$ 1,4 bilhão.

A Copel recebeu uma manifestação do seu acionista controlador, Estado do Paraná, favorável à proposta de implementação de programa de
certificados de depósito de ações (units), a ser votada em assembleia.

A BR Distribuidora atualizou o valor de juros sobre capital próprio (JCP) que serão pagos no dia 12 de janeiro e que já havia anunciado no dia 16 de dezembro. O valor bruto total a ser pago é de R$ 498,378 milhões ou R$ 0,42780043964 por ação, corrigido pela taxa Selic.

O Santander implementou o fechamento da operação relativa à compra e venda de participação societária na fintech de recebíveis do agronegócio Gestão Integrada de Recebíveis do Agronegócio (Gira) e passou a deter 80% das ações da empresa. A compra foi anunciada em 11 de agosto de 2020 e o valor não foi informado.