RADAR DO DIA: Atenção ao PIB dos EUA, Powell e local

190

São Paulo – As bolsas ao redor do globo operam em sua maioria em leve queda, no aguardo da divulgação do PIB dos Estados Unidos e do pedido de seguro-desemprego do país, que podem mostrar um pouco se a maior economia do mundo está reagindo à crise.

Além disso, existe a expectativa pelo discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, na convenção de Jackson Holle, evento que reúne os bancos centrais. O presidente do Banco Central brasileiro, Roberto Campos Neto, também participará do evento.

No Brasil, os investidores estão atentos a suspensão do megapacote de medidas nas áreas social e econômica do governo Jair Bolsonaro. Ontem, durante evento em Minas Gerais, Bolsonaro afirmou que o pacote ainda não tem data de ir ao parlamento. Outro tema importante é o desgaste entre o presidente e o ministro da Economia, Paulo Guedes, que tem gerando apreensão no mercado.

Em relação à pandemia causada pelo novo coronavírus, o número de mortes no mundo está em mais de 821,9 mil pessoas, de acordo com a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins, enquanto o número de casos no mundo já ultrapassou 24 milhões de infectados. O Brasil possui 3,7 milhões de casos confirmados, enquanto 117,6 mil pessoas morreram por causa da doença.

Ontem, o Ibovespa encerrou em queda de 1,45%, aos 100.627,33 pontos, após o presidente Jair Bolsonaro barrar a proposta que recebeu do programa Renda Brasil, que teve seu lançamento suspenso até que se defina mais detalhes do benefício.

Nesta manhã, os contratos futuros de ações dos Estados Unidos mostram uma abertura em leve queda, refletindo a cautela dos investidores antes da divulgação do PIB do país e no aguardo do discurso de Jerome Powell.

Na Europa, as principais bolsas operam em queda, também de olho na divulgação de dados econômicos, principalmente pelos Estados Unidos.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações fecharam em queda com petrolíferas sendo fechadas devido ao furacão Laura no Golfo do México e os investidores antecipam o discurso do presidente do Fed, Jerome Powell.

CORPORATIVO

O conselho de administração da Petrobras aprovou a venda remanescente de 37,5% da BR Distribuidora, por meio de uma oferta pública secundária de ações (follow-on). Segundo a companhia, o objetivo é otimizar o portfólio e melhorar a alocação do capital e a geração de valor para os seus acionistas.

O conselho de administração da Gerdau autorizou a companhia a prestar garantias à Gerdau Corsa, Sidertul e Aceros Corsa em operações financeiras de antecipação de recebíveis no valor de até US$ 30 milhões com o Santander, US$ 10 milhões com o Bilbao Vizcaya e de até US$ 15 milhões com o Bank of America, respectivamente.

O Banco do Brasil anunciou a retomada das antecipações intermediárias de juros sobre capital próprio (JCP), respeitando o dividendo mínimo obrigatório, em conformidade com o disposto do Banco Central aprovado em maio deste ano, em decorrência da crise desencadeada pelo coronavírus.

O conselho de administração da Hypera aprovou a emissão de 73,5 mil debêntures, sendo 23,5 mil da primeira série e 50 mil da segunda série, pelo valor unitário de R$ 10 mil, perfazendo o montante total de R$ 735 milhões. As debêntures terão prazo de vencimento de cinco anos.

O conselho de administração da BR Malls aprovou a alienação fiduciária de 24,50175% do terreno do shopping Center Caxias, localiza no Rio Grande do Sul, o equivalente a 45,50% do empreendimento, em favor do Itaú Unibanco, no âmbito da emissão de crédito bancário no valor de R$ 305 milhões, emitida em junho deste ano.

A Petrobras informou que passará a divulgar no calendário de eventos corporativos a participação de executivos da companhia em eventos externos, transmitidos por plataformas digitais, como recomendou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A BR Distribuidora informou que pagará no dia 1 de setembro valor total de R$ 601,650 milhões dos juros sobre capital próprio (JCP) e parcela dos dividendos, que compõem o mínimo obrigatório referente ao exercício de 2019.

A Petrobras conseguiu decisão favorável ao seu pedido de liminar, referente a suspensão imediata da arbitragem instaurada pela Fundação Petrobras de Seguridade Pessoal (Petros) e pela Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), perante a Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM) da B3, até o julgamento definitivo da ação.

A YDUQS reportou prejuízo líquido de R$ 79,5 milhões no segundo trimestre do ano, revertendo o lucro de R$ 194,8 milhões visto um ano antes. O lucro líquido ajustado, que engloba ajustes de despesas não recorrentes, foi 30,2% menor e somou R$ 135,9 milhões na mesma base de comparação.