RADAR DO DIA: Atenção à saúde de Trump e política local

142

São Paulo – As bolsas abrem a semana majoritariamente positivas depois da possível melhora no estado de saúde do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que deixou o hospital ontem para cumprimentar eleitores.

Ainda nos Estados Unidos, os índices também devem ter uma melhora após a presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, sinalizar que a Casa avançará com alívio para os trabalhadores das companhias aéreas, seja como um projeto de lei independente ou parte de um acordo mais amplo de ajuda ao novo coronavírus.

Na Europa, a atenção dos investidores está na divulgação de indicadores sobre as vendas do varejo na zona do euro e do PMI composto do bloco, assim como no estado de saúde de Trump. Na Ásia, as bolsas encerram as operações em alta no Japão e na Coreia, enquanto na China não houve pregão devido a um feriado local.

No Brasil, o destaque segue sendo a expectativa dos investidores nas reformas do governo Jair Bolsonaro, mesmo com divergência entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, relacionadas ao Renda Cidadã. Rumores do fim de semana dão conta que o ministro e o presidente da Câmara agendaram um encontro para selar a “paz”.

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) continuam com expectativa de melhora em relação ao resultado de 2020, no qual o mercado projeta retração de 5,02% da economia brasileira, registrando a quarta seguida de alta na projeção. Há um mês, a previsão era de queda de 5,31%, segundo o relatório de mercado Focus.

Na agenda da semana, a expectativa é pela ata do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que será divulgada quarta-feira (7), assim como o relatório de perspectiva econômica global pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) também na quarta-feira. Na quinta-feira (8), o Banco Central Europeu (BCE) divulga a ata da última reunião de política monetária.

No âmbito corporativo, a CVC Viagens convocou nova assembleia geral de debenturistas para o dia 21 de outubro, referente a não declaração de vencimento da terceira emissão de debêntures, além da inclusão de obrigação de negative pledge, ou seja, novas garantias. Essa assembleia já havia sido em suspensa em julho, agosto e setembro e começo de outubro.

A Petrobras disse que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de julgar improcedente a ação que questionava o decreto 9355/2018, editado para regular o procedimento especial de cessão de direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos, dá segurança jurídica para o andamento dos seus desinvestimentos.

O conselho de administração da Hering aprovou a contratação de seguro garantia junto ao BMG Seguros, no valor de R$ 111,018 milhões, com o objetivo de garantir o juízo do cumprimento de sentença provisória, oriundas da ação monitória, ajuizadas pela massa falida do Banco Santos.

O conselho de administração da Qualicorp aprovou o pagamento de R$ 48 milhões em juros sobre capital próprio (JCP), o que corresponde a R$ 0,169317 por ação. Terão direito os acionistas com posição em 13 de outubro, sendo que a partir do dia 14 as ações serão negociadas ex-juros. O pagamento será feito no dia 26 de outubro.

A Vale, Samarco e BHP consideram sem mérito o pedido dos Ministério Público Federal e de Minas Gerais, além das defensorias públicas do Espírito Santo e Minas Gerais, referente ao retorno da ação civil pública, alegando que as empresas não se exonerem de suas responsabilidades após o rompimento da barragem de Fundão, que vem ocorrendo com o descumprimento de obrigações já estabelecidas no acordo firmado em 2018.

A Ultrapar informou que Marcelo Bazzali será o novo presidente da subsidiária Extrafarma a partir de 13 de outubro, em substituição a Rodrigo Pizzinatto, que foi eleito diretor financeiro e de relações com investidores da controladora e acumulava as duas posições desde 17 de setembro.

O Itaú Unibanco informou que o Banco Central aprovou a eleição do engenheiro Renato da Silva Carvalho à diretoria da instituição, em substituirá Rodrigo Luís Rosa Couto, que foi destituído do cargo. 

A Suzano informou que a oferta pública de distribuição secundária (follow on) das 150.217.425 ações ordinárias da companhia detidas pelo BNDESPar, braço de investimentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), foi precificada em R$ 46 por ação, totalizando R$ 6,9 bilhões.