RADAR: Atenção a Cosan, BR Distribuidora, Totvs e IBC-Br

153

São Paulo, 14 de setembro de 2020 – A retomada dos testes com a vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford contra a covid-19 mantém as bolsas da Europa perto da estabilidade e os futuros de ações dos Estados Unidos em alta nesta manhã.

Os testes tinham sido interrompidos na semana passada após uma das cobaias ter ficado doente sem explicação, e foram reautorizados pelas autoridades britânicas. No Brasil, a Anvisa também autorizou a retomada dos testes com a vacina, que é a principal aposta do governo federal no combate à doença.

Os investidores, porém, seguem cautelosos com o cenário econômico por uma série de fatores, entre eles a possibilidade de divórcio litigioso entre o Reino Unido e a União Europeia, o anúncio da decisão de política monetária do banco central dos Estados Unidos, na quarta-feira, e ausência de um acordo no Congresso norte-americano sobre um pacote de estímulos à população.

No Brasil, o anúncio da decisão de política monetária do Banco Central, na quarta-feira, também deve ajudar a manter Ibovespa, dólar e juros perto da estabilidade.

Até lá, o mercado deve reagir aos dados do boletim Focus – que mostraram os investidores menos pessimistas com o desempenho da economia neste ano, além de cortes na previsão para a Selic no ano que vem e em 2023 – e aos dados do Indice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br).

A alta mensal do indicador, que é ajustada por fatores sazonais, foi de 2,15% em julho – abaixo dos 3,10% previstos -, enquanto a contração do índice em termos anuais e sem ajuste foi de 4,89% – menor que a de 5,5% prevista pelo mercado.

Em âmbito corporativo, um parecer elaborado pela Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou ao tribunal do órgão que condene a Air BP Brasil, a BR Distribuidora, a Raízen Combustíveis e a Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU Airport) por prática anticompetitiva no mercado de distribuição de querosene de aviação.

O conselheiro do Banco do Brasil Joaquim José Xavier da Silveira renunciou ao cargo na última sexta-feira (11). Ele era membro independente do conselho de administração e havia sido nomeado em março pelo colegiado.

A Totvs estendeu até 13 de outubro o prazo de validade da proposta feita pela Linx e que havia sido apresentada em 14 de agosto. Na proposta, cada acionista da Linx receberia uma ação da Totvs e um pagamento de R$ 6,20 – o equivalente a R$ 34,09 por ação, avaliando a Linx em R$ 6,45 bilhões.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) propôs à Azul que lance uma oferta de pelo menos R$ 2 bilhões em debêntures e bônus de subscrição – que conferem ao comprador o direito de adquirir ações da companhia – e disse que garantirá até 60% da operação. A Azul afirmou que vai avaliar a proposta.

A Yduqs indicou que vai entrar na disputa com a Ser Educacional pelos ativos brasileiros da Laureate International. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa disse que “está aprofundando o entendimento dos referidos ativos e acredita ter condições de apresentar proposta concorrente mais atraente dentro do prazo estabelecido.”

A Ser Educacional fechou acordo para comprar os ativos brasileiros da Laureate por R$ 1,7 bilhão mais um pagamento em ações. Esta parcela em ações foi estabelecida de forma que, no fechamento da transação, a Laureate receba 44% das ações ordinárias da Ser.

Se o pagamento em ações for feito apenas com novos papéis, seria equivalente a R$ 3,2 bilhões, aproximadamente, com base no preço de fechamento de sexta-feira, o que colocaria o valor total da operação em R$ 4,9 bilhões.