Quanto melhor estiver o Rio de Janeiro, melhor estará o Brasil, declara Lula

175
Inauguração do Terminal Intermodal Gentileza, no Rio de Janeiro. Foto: Ricardo Stuckert

São Paulo – O presidente Luís Inácio Lula da Silva participou da inauguração do Terminal Intermodal Gentileza, no Rio de Janeiro (RJ), ao lado do prefeito Eduardo Paes, e do ministro das Cidades, Jader Barbalho Filho, estão presentes no evento.

Em seu discurso, Lula disse que o Brasil tem uma dívida com o Rio de Janeiro por conta de sua história como capital do Império colonial português e transferência para Brasília, que fez a cidade empobrecer e ter uma ocupação desordenada.

“O Rio foi perdendo história e muita coisa ficou pra trás cresceu a pobreza e a ocupação desordenada. Tocar pandeiro e jogar capoeira era crime”, declarou o presidente.

Lula afirmou que “o Rio de Janeiro tem que ser bem cuidado por que é o cartão postal do do Brasil” e que estava abandonado por governos anteriores e disse que vai anunciar novos investimentos na Petrobras, no Porto Maravilha e em educação na cidade. “Quanto melhor estiver o Rio de Janeiro, melhor estará o Brasil. ”

“Eu inaugurei um conjunto habitacional em Magé com obras que estavam paradas desde 2013. O contrato com a Caixa foi assinado em 2013.”

Lula defendeu a construção do terminal para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores da cidade.

“Precisamos construir as coisas que o povo necessita. Não dá para demorar 3 horas para chegar no trabalho.”

Lula também fez menção à escolha de candidatos nas próximas eleições, sem citar nomes. “Tem gente que passa o dia mentindo. Não podemos votar num imbecil que fala bobagens e agride as pessoas.”

“Quando eu inauguro um terminal chamado ‘Gentileza gera gentileza’, eu concluo que o amor venceu o ódio. Vamos fazer muita gentileza para quem tem raiva e faz coisas para destruir esse país.”

O Terminal Intermodal Gentileza (TIG) recebeu cerca de R$ 2 bilhões em investimentos federais e estadual e demorou 11 anos para ser concluído. A operação começa neste sábado (24).

Localizado nas imediações da Rodoviária Novo Rio, na Zona Portuária da capital fluminense, o TIG vai integrar diferentes modais de transporte: o BRT Transbrasil (que também começa a operar neste sábado), 14 linhas de ônibus municipais e as linhas 1 e 4 do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A estimativa é que mais de 150 mil pessoas passem pelo terminal todos os dias.

“Agora, todos os modais de transporte vão se encontrar, para mudar a vida das pessoas”, disse Paes. “Existem pessoas que se cansam mais durante a ida e volta ao trabalho do que trabalhando, levam até 5 horas para chegar em suas casas e poderiam estar descansando, namorando, orando”, discursou o prefeito do Rio.

INFORMAÇÕES SOBRE O TIG

A obra, considerada o maior integrador de transporte público da capital carioca, conecta os serviços do mais novo corredor de BRT (da sigla em inglês, Bus Rapid Transit) da cidade, o BRT Transbrasil, do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) e dos ônibus municipais. Do BRT Transbrasil, o TIG integra as linhas 1 e 4 do VLT e 14 linhas de ônibus municipais regulares. A Linha 1 do VLT, que parte do Aeroporto Santos Dumont, foi expandida e chegará ao TIG. Em março, entra em operação a Linha 4, que leva passageiros do Terminal até a Praça XV, onde está localizado o terminal das barcas.

Governo Federal e Prefeitura foram parceiros na implementação do VLT, com investimento de R$ 532 milhões de recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade.

A estimativa é atender cerca de 150 mil pessoas por dia. As obras do TIG foram feitas em uma área de 77 mil metros quadrados (m) que a gestão municipal comprou da Caixa por R$ 40,8 milhões. O investimento na construção foi próximo de R$ 300 milhões pela Parceria Público Privada (PPP) do VLT do Centro parte com o financiamento do Banco do Brasil para a reestruturação do sistema do BRT, na ordem de R$ 257,8 milhões.

O TIG possui dois andares, o térreo é dedicado à chegada de todos os modais. Na parte superior, estão bilheterias, banheiros, 80 lojas e a sala de espera para o serviço especial TIG / Aeroporto Internacional do Galeão (GIG). O terminal é totalmente acessível. São três passarelas (Rodoviária, Rua São Cristóvão e Avenida Brasil) e mais um acesso pela Avenida Francisco Bicalho.

INTERMODAL O início da primeira fase de implantação do BRT Transbrasil e a operação do TIG têm início no sábado (24), na primeira etapa de operação, com o trajeto entre Penha e Gentileza, no horário restrito das 12h às 14h.

O custo total da obra no corredor foi de cerca de R$ 2 bilhões. O Governo Federal, no âmbito do programa Pró-Transportes, do Ministério das Cidades, financiou R$ 1,1 bilhão com recursos do FGTS, por meio da Caixa. Outros R$ 97 milhões foram destinados à obra pelo BNDES. O investimento da Prefeitura do Rio de Janeiro alcançou os R$ 838 milhões.

O novo corredor expresso BRT Transbrasil, na Avenida Brasil, é composto por 18 estações e dois terminais, conectando Deodoro, na Zona Oeste, ao Centro do Rio, na Região Portuária, próximo à Rodoviária do Rio.

REDUÇÃO NO DESLOCAMENTO O percurso total é de 26 quilômetros (km) e a estimativa é de que até 250 mil pessoas sejam transportadas diariamente, até 2030. Com o início da operação do corredor Transbrasil, a estimativa é de redução de 50% no tempo de deslocamento.

No Transbrasil haverá conexão com linhas de ônibus municipais, VLT (TIG), Transolímpica (Terminal Deodoro) e Transcarioca (Penha e Fundão). As intervenções ao longo do BRT contemplam, ainda, a construção de 18 passarelas.

A partir deste sábado, também haverá uma linha executiva para o GIG, todos os dias, de 6h à meia-noite, com intervalos de 20 minutos. Os ônibus terão bagageiro, e uma sala de espera ficará à disposição dos passageiros no Terminal Gentileza.

Somando os quatro corredores (Transoeste, Transcarioca, Transolímpica e Transbrasil), serão 139 estações, 16 terminais e quase 150 km, interligando Zona Oeste, região da Barra da Tijuca, Zona Norte e Centro.

NOVOS ÔNIBUS Os investimentos para a compra de novos ônibus foram feitos por meio de operações de crédito com o Banco do Brasil, no valor de R$ 1,2 bilhão, e destinados R$ 645,9 milhões do FGTS pelo Programa Avançar Cidades do Ministério das Cidades, liberados pela Caixa. Foram comprados cerca de 700 ônibus e os recursos ainda foram aplicados na requalificação do corredor Transoeste e na construção de terminais e garagens públicas.

PROFETA GENTILEZA O nome e o projeto do terminal fazem referência a José Datrino, o Profeta Gentileza. Ele ficou conhecido pelas inscrições que eternizou nas colunas dos viadutos do Gasômetro e da Perimetral. A mais famosa delas é a frase Gentileza gera Gentileza, que compõe a identidade visual do TIG.

O TIG faz parte do legado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. Durante a obra, o Terminal recebeu as estruturas metálicas que foram reaproveitadas do Centro Internacional de Transmissão construído no Parque Olímpico. O local recebeu mais de dez mil profissionais de imprensa que trabalharam no prédio onde funcionavam estúdios e eram geradas as imagens das transmissões oficiais.

Em evento da Petrobras, presidente diz que Estado de Israel está cometendo genocídio contra os palestinos

O presidente Luís Inácio Lula da Silva voltou a defender, na noite desta sexta-feira, sua posição de que o Estado de Israel está cometendo genocídio contra os palestinos, em evento da Petrobras, no Rio de Janeiro (RJ), e que o governo brasileiro está trabalhando para mudar o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele destacou o veto dos Estados Unidos neste processo que votou contrariamente a 13 votos favoráveis.

“Volto a dizer que o que Israel está cometendo genocídio contra os palestinos. Não é possível que as pessoas não estejam compreendendo o que está acontecendo em Gaza, crianças não têm o que comer e estão morrendo. Também não podemos aceitar a guerra da Ucrânia, nem outro tipo de guerra”, afirmou.

No evento, o presidente também destacou o investimento recorde em cultura anunciados pela Petrobras, de R$ 250 milhões, como um elemento formador de consciência política e defendeu a Lei Rouanet, ao lado do presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, da ministra da Cultura, Margareth Menezes e do ministro da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, em cerimônia, no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro (RJ).

“Quem imaginou que nós voltaríamos para colocar R$ 250 milhões em investimentos em cultura por meio da Petrobras? Cultura pode não interessar a ditador ou negacionista, mas interessa ao povo como um prato de comida”, disse o presidente, em seu discurso na cerimônia de anúncio do investimento, realizada no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro (RJ).

Lula mencionou tentativas passadas de privatizar a Petrobras. “Quando se pensou em criar a Petrobras, a elite que tem complexo de vira-lata queria abortar o projeto. Ela foi sobrevivendo a duras penas, foi se desenvolvendo e cresceu. Houveram tentativas de abortar seu crescimento, os petroleiros eram ofendidos por que eram confundidos com corrupção, mas houve resistência. Da mesma forma, tentaram abortar a Lei Rouanet, dizendo que as políticas de incentivo não eram convenientes”, discursou o presidente.

Lula disse que a descoberta do Pré-Sal foi resultado de investimentos em pesquisas, tecnologia e formação profissional da Petrobras.

“O que nós estamos aqui comemorando não é que nós voltamos, nós nunca saímos, nós continuamos. Tentaram privatizar e fatiar parcelas da Petrobras como fizeram com outras empresas. E nós estamos aqui”, afirmou.

O investimento em cultura da Petrobras será feito feito por meio do edital “Seleção Petrobras Cultural-Novos Eixos”, que abriu as inscrições nesta sexta-feira, e irá destinar recursos da Lei Rouanet e da Lei do Audiovisual a projetos e iniciativas culturais “que valorizem a diversidade e a economia criativa, regionalidades, diversificando as oportunidades pelo território nacional através de mecanismos especiais do regulamento. O elemento brasilidade será o norteador, junto aos novos eixos temáticos do programa, que serão anunciados no evento”, segundo a empresa.

O texto foi atualizado às 20h18 para incluir informações do evento da Petrobras.