Produtividade da mão de obra nos EUA cai 5,2% no 3T21 ante 2T21, após revisão

Foto: Rainer Plendl / Shutterstock.com

São Paulo – A produtividade nos Estados Unidos, que é a medida de quanto os trabalhadores fora do setor rural do país produzem por hora, caiu 5,2% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior, em dado anualizado, segundo a leitura revisada do Departamento do Trabalho do país. O custo por unidade de trabalho teve alta de 9,6% na mesma base de comparação.

Analistas previam queda de 5,0% na produtividade do terceiro trimestre e de avanço de 8,3% nos custos trabalhistas. A leitura preliminar havia mostrado baixa de 5,0% na produtividade e crescimento de 8,3% no custo da mão de obra. No segundo trimestre, a produtividade havia subido 2,4% e o custo de mão de obra cresceu 5,9%.

No terceiro trimestre, a quantidade de horas trabalhadas subiu 7,4% ante os três meses anteriores, (revisão de +0,4 ponto percentual) enquanto a produção cresceu 1,8% (+0,2 pp). A remuneração por hora trabalhada caiu 2,5% (-1,0 pp), descontando os efeitos da inflação.

Já na comparação com o mesmo período de 2020, a produtividade da mão de obra norte-americana caiu 0,6% no terceiro trimestre (+0,1 pp) e os custos trabalhistas tiveram alta de 6,3% (+1,5 pp). As horas trabalhadas avançaram 6,8% (+0,1 pp), a produção cresceu 6,2% (+0,1 pp) e a remuneração por hora avançou 0,4% (leitura anterior havia mostrado queda de 1,0%).

O Departamento do Trabalho define o custo unitário de trabalho como a relação entre a remuneração por hora e a produtividade dos trabalhadores: aumentos da remuneração por hora tendem a aumentar os custos unitários do trabalho e aumentos de produção por hora tendem a reduzi-los.