Presidente do Federal Reserve diz que manterá estímulos por mais tempo

195
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell / Foto: Fed

São Paulo – O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) não vai retirar suas ferramentas de estímulos para conter os impactos da pandemia tão cedo, disse o presidente da instituição, Jerome Powell, em depoimento ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara do Deputados.

“O que temos que fazer para que a recuperação tenha um começo realmente bom é levar as pessoas de volta ao trabalho, apoiar a economia. Não estamos pensando em retirar nossas ferramentas por um longo tempo”, disse ele, no segundo dia de audiências ao Congresso.

“Nós do Fed precisamos manter o ‘pé no gás’ até termos realmente certeza de que passamos por isso”, mantendo suas ferramentas de estímulos monetários até a recuperação da economia norte-americana.

Powell disse que há três etapas econômicas relacionadas à pandemia do novo coronavírus, e a primeira é o fechamento. “Estamos agora nos primeiros estágios da recuperação”, que é a segunda fase, com as empresas reabrindo, dados positivos saindo, e a economia como um todo começando a reabrir.

“A maioria das previsões vê uma terceira fase em que partes da economia lutam para se recuperarem”, e assim elas vão demorar mais para isso. “Pode levar tempo para que o público ganhe confiança para retomar as atividades”.

Segundo ele, esse grupo de empresas e trabalhadores precisa de ajuda. “Dados recentes sugerem que começamos a fase de recuperação, reabertura e expansão. Temos que pegar esta estrada e permanecer nesta estrada, e antes que você perceba as coisas vão melhorando”, disse. Para Powell, o foco dos legisladores “deve ser passar por esta fase crítica”.

No longo prazo, pessoas vão aprender que há tipos de trabalho que podem ser feitos de casa, que a tecnologia avançou. “Vamos aprender que há muitas formas de acelerar tendências pré-existentes na economia”, como compras online, disse.