Powell afirma que governo de EUA deve gastar mais para acelerar recuperação

142
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell. Foto: Divulgação/ Federal Reserve

São Paulo – O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, disse que a resposta econômica ao coronavírus aliviou as consequências da recessão induzida pela pandemia, mas sugeriu que o Congresso provavelmente precisaria gastar mais dinheiro para sustentar alguns setores da economia que continuam a ter problemas.

“Nossa economia se recuperará totalmente deste período difícil”, afirma Powell em declarações preparadas para serem ditas hoje em audiência no Câmara de Representantes dos Estados Unidos.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) fará “o que puder, pelo tempo que for necessário, para garantir que a recuperação seja a mais forte possível e para limitar os danos duradouros à economia”.

Powell inicia hoje três dias de audiências no Congresso, começando com o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, onde dará depoimento ao lado do secretário do Tesouro noret-americano, Steven Mnuchin.

Os dois também comparecerão ao Comitê Bancário do Senado na quinta-feira. Powell dará depoimento na quarta-feira diante de um painel separado da Câmara que supervisiona a resposta dos Estados Unidos à pandemia do novo coronavírus.

Segundo Powell, a economia se recuperou nos últimos meses após o fim dos bloqueios impostos para desacelerar a propagação do vírus. Para ele, os ganhos nos gastos das famílias provavelmente refletiram os esforços de estímulo federal que incluíram benefícios de desemprego ampliados.

No entanto, o presidente do Fed afirma que o governo precisará fazer mais para apoiar empresas duramente atingidas, governos estaduais e locais, bem como trabalhadores desempregados em setores vulneráveis, como lazer e turismo, para evitar que cicatrizes mais profundas retardem qualquer recuperação.

“O caminho a seguir dependerá de manter o vírus sob controle e de ações políticas tomadas em todos os níveis de governo”, afirma.

O Fed cortou as taxas para quase zero em março e comprou trilhões de dólares em títulos depois que a pandemia do novo coronavírus ameaçou provocar um pânico financeiro. O banco central também protegeu uma série de mercados de crédito.

Em seu depoimento, Powell afirma que os programas de empréstimo foram projetados para apoiar o funcionamento dos mercados privados, e não para substituí-los. Algumas empresas ou possíveis tomadores de empréstimos podem não se beneficiar de um empréstimo, disse ele. “Nesses casos, o apoio fiscal direto pode ser necessário”, disse Powell.

Os cinco programas de empréstimos que o Fed e o Tesouro estabeleceram permitiriam quase US$ 3 trilhões em novos empréstimos, mas o Fed concedeu menos de US$ 20 bilhões em tais empréstimos.