Powell aceita pedido do Tesouro e diz que Fed devolverá recursos da pandemia

222
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell / Foto: Fed

São Paulo – O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou que vai trabalhar com o Departamento do Tesouro para devolver os recursos que não foram usados sob a Lei Cares, medida aprovada em março e que liberou trilhões em ajuda para a economia.

“Faremos acordos com você para devolver as partes não utilizadas dos fundos alocados para os programas sob a Lei Cares em relação ao encerramento do ano”, disse Powell em uma carta enviada do secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

Na noite de ontem, o Tesouro pediu que o Fed devolvesse mais de US$ 400 bilhões não utilizados em seus programas de crédito sob a Lei Cares. Segundo Mnuchin, esses recursos devem ser incorporados pelo governo em uma nova rodada de estímulos.

“Como você observou em sua carta, os fundos não pertencentes à Lei Cares permanecem no fundo de estabilização e estão, como sempre, disponíveis, na medida permitida por lei, para capitalizar quaisquer facilidades de empréstimo do Federal Reserve que sejam necessárias para manter a estabilidade financeira e apoiar o economia”, disse Powell na carta.

Além da devolução dos recursos, o Tesouro também indicou que iria estender para além de 31 de dezembro a vigência de vários programas do Fed implementados para conter os efeitos da pandemia do novo coronavírus, entre eles o de crédito corporativo, o de financiamento a governos estaduais e municipais e o Main Street – voltado para as pequenas e médias empresas dos Estados Unidos.

“Como você, estou satisfeito com tudo o que conquistamos juntos este ano. Implementamos rapidamente linhas de crédito de emergência para apoiar governos estaduais e locais, pequenas e médias empresas e grandes empregadores. Esses eram programas novos e complexos que exigiam que trabalhássemos juntos de forma produtiva”, afirma Powell.

“Nossos esforços ajudaram a evitar graves interrupções no sistema financeiro e liberou trilhões de dólares em empréstimos privados para famílias, empresas e municípios em um momento em que a economia mais precisava”, acrescentou.

A Lei Caries atribui ao secretário do Tesouro autoridade exclusiva para fazer certos investimentos em linhas de crédito de emergência do Federal Reserve, sujeitos aos limites especificados no estatuto.