Pompeo diz que diplomacia despertou mundo para ameaças chinesas

156
O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo. Foto: Departamento de Estado norte-americano

São Paulo – O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse que a vigorosa diplomacia dos Estados Unidos levou a um despertar internacional sobre a ameaça representada pelo Partido Comunista Chinês.

“Vemos o Partido Comunista Chinês pelo que é: a ameaça central de nossos tempos”, disse Pompeo ao Comitê de Relações Exteriores do Senado. “Nossa vigorosa diplomacia ajudou a levar um despertar internacional sobre a ameaça do Partido Comunista Chinês. Senadores, a maré está virando”, acrescentou.

Segundo Pompeo, graças aos alertas do governo norte-americano, mais de 30 países proibiram o que ele chamou “de fornecedores chineses de 5G não confiáveis” – em uma referência a Huawei Technologies – de suas redes e outros denunciaram as ações da China em Hong Kong.

“Em nosso hemisfério, o Canadá se manteve firme contra a tomada de reféns pelo Partido Comunista Chinês. Suas três principais operadoras de telecomunicações também proibiram fornecedores não confiáveis “, afirmou.

O secretário norte-americano lembrou ainda que o Reino Unido ofereceu refúgio a milhões de residentes de Hong Kong, enquanto a Dinamarca rejeitou a tentativa de censura da China aos jornais locais e está alarmada com a atividade chinesa no Ártico.

Pompeo disse também que a Austrália declarou ilegais as alegações de Pequim em relação ao Mar do Sul da China e que os Estados Unidos fizeram parceria com alguns países para garantir a liberdade de navegação.

“Estamos orgulhosos de ter intensificado as manobras marítimas nesse corpo de água ao lado de amigos como Austrália, India, Japão e Reino Unido”, afirmou.