Política monetária do Fed será mantida por algum tempo, diz Evans

O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Chicago, Charles Evans / Foto: Fed Chicago

São Paulo – A política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) será mantida por algum tempo, uma vez que a economia ainda tem algum caminho a percorre até alcançar as metas de pleno emprego e estabilidade de preços, disse o presidente da unidade do Fed de Chicago, Charles Evans.

“Nós, como autoridade de política monetária, ainda temos alguns caminhos a percorrer antes de atingirmos nossas metas de duplo mandato de emprego máximo e inclusivo e inflação média de 2%. Também enfrentamos muitas incertezas e riscos no caminho à frente”, disse Evans, em texto preparado para discurso.

A mediada do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) espera que os juros permaneçam em sua atual faixa baixa entre zero e 0,25% pelo menos até o final de 2023. “Portanto, a política provavelmente será mantida por algum tempo”, afirmou Evans, que é membro votante do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) .

“Mas estou muito otimista sobre as perspectivas de crescimento de nossa economia e tenho esperança de que nossa meta de emprego estará à vista em breve. Alcançar nossa meta de inflação, no entanto, pode ser mais difícil”, acrescentou.

“Espero que a inflação acelere nos próximos meses”, disse ele, afirmando que o avanço nos preços deve ser temporário. Evans afirmou que na medida em que o vírus diminui e as pessoas voltam às atividades normais, a demanda deve aumentar por bens e serviços mais afetados pela pandemia, puxando seus preços para níveis mais típicos.

Além disso, gargalos na cadeia de suprimentos, à medida que a atividade aumenta rapidamente em alguns setores, contribui para pressões temporárias de preços. Assim, é preciso observar medidas de expectativas de inflação em busca de sinais de altas mais sustentadas. “Dada a baixa inflação observada nos últimos 15 anos, é altamente provável que as expectativas de inflação tenham caído visivelmente abaixo de 2%”.