Polícia faz buscas em Minas Gerais ligadas a caso Queiroz

225
O ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz. (Foto: Reprodução/SBT)

São Paulo – A polícia de Minas Gerais cumpriu quatro mandados de busca e apreensão relacionados à investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) que apura se houve desvio de recursos públicos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) para o então deputado estadual e agora senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

A operação fora divulgada mais cedo pelo Ministério Público de Minas Gerais, que ofereceu apoio às buscas, e posteriormente confirmada pelo MP-RJ. O órgão disse que os mandados cumpridos hoje estão vinculados à operação Anjo, lançada na semana passada e que resultou na prisão do ex-assessor de Flávio, Fabrício Queiroz.

Queiroz foi preso na última quinta-feira num inquérito que investiga se servidores Alerj devolveram parte do salário que recebiam a Flávio quando ele ocupava o cargo de deputado estadual – prática conhecida como “rachadinha”. Segundo informações que circulam na imprensa, a operação de hoje teria como alvo a esposa de Queiroz.

Ele foi encontrado num imóvel de Frederick Wassef, advogado próximo da família Bolsonaro e que, antes da prisão, chegou a dizer em entrevistas à imprensa que não sabia onde estava o ex-assessor.

O presidente Jair Bolsonaro disse na última quinta-feira que a prisão de Queiroz foi “espetaculosa” porque ele não estava foragido nem demonstrava falta de cooperação com a justiça.