PMI do setor industrial da eurozona sobe a 62,5 pontos em março após revisão

Foto: Karolina Grabowska / Pexels

São Paulo – O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade industrial da zona do euro subiu para 62,5 pontos em março, nível sem precedentes em quase 24 anos, depois de ter marcado 57,9 pontos em fevereiro, de acordo com dados preliminares divulgados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

A versão preliminar havia mostrado 62,4 pontos. Leituras acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração. A produção e os pedidos em carteira cresceram a taxas sem precedentes em quase 24 anos de história da pesquisa PMI.

“Embora centrada na Alemanha, que viu uma expansão recorde particularmente forte durante o mês, a tendência de melhoria é ampla na região, pois as fábricas se beneficiam do aumento da demanda doméstica e o ressurgimento do crescimento das exportações”, diz o economista-chefe do IHS Markit, Chris Williamson.

“Impulsionar a recuperação tem sido uma melhoria significativa na confiança empresarial nos últimos meses, com as expectativas de crescimento no próximo ano em recordes de alta em fevereiro e março. Isso não apenas impulsionou os gastos, mas também levou ao aumento do investimento e reabastecimento, à medida que as empresas se preparam para demanda mais forte após o lançamento da vacina”.

Por outro lado, o cenário está prejudicado pelas interrupções recordes na cadeia de suprimentos, que provavelmente serão exacerbadas ainda mais por atrasos decorrentes do bloqueio no Canal de Suez. Já os preços estão subindo na taxa mais rápida por uma década, à medida que a demanda supera a oferta.

“De forma encorajadora, a recente expansão da produção significa que a produção na zona do euro deve ter ultrapassado seu pico pré-pandemia, e as contratações já aceleraram acentuadamente à medida que os produtores procuram construir capacidade adicional para atender à maior demanda”.