PMI do setor de serviços dos EUA sobe a 70,4 pontos em maio

Foto: FreeImages.com / Cavell L. Blood

São Paulo – O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor de serviços dos Estados Unidos subiu para 70,4 pontos em maio, depois de atingir 64,7 pontos em março, de acordo com dados revisados publicados pelo instituto de pesquisas IHS Markit. A expectativa era de alta para 70,1 pontos.

Na versão preliminar, o índice havia avançado para 70,1 pontos. Leituras acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração. O PMI composto, que agrega dados dos segmentos industrial e de serviços, subiu para 68,7 pontos em maio, de 63,5 pontos em abril. A versão preliminar havia mostrado alta para 68,1 pontos.

Os dados do PMI de maio indicaram o aumento mais rápido na atividade de negócios desde o início da coleta de dados em outubro de 2009. A expansão sem precedentes na produção foi apoiada por um aumento acentuado em novos negócios, por sua vez impulsionado pelo aumento mais rápido em novos pedidos de exportação para nove meses. Maiores requisitos de negócios resultaram em um aumento acentuado no emprego.

Dito isso, o ritmo de criação de empregos diminuiu à medida que as empresas relataram dificuldades para preencher as vagas. A pressão sobre a capacidade também se refletiu em outro aumento mensal nos pedidos em atraso. Ao mesmo tempo, a taxa de inflação de custo de insumos acelerou para uma série de alta em meio a aumentos em curso nos preços dos fornecedores. Em um esforço para repassar custos maiores, os provedores de serviços aumentaram suas tarifas em um ritmo sem precedentes.

“A recuperação econômica norte-americana mudou de marcha em maio, com a produção dos setores de manufatura e serviços combinados ultrapassando todos os picos anteriores por uma margem impressionante. A forte correlação entre o PMI e o PIB significa que a economia parece destinada a desfrutar de um crescimento rápido – potencialmente de dois dígitos – no segundo trimestre”, afirma o economista chefe do IHS Markit, Chris Williamson.

“Expansões robustas adicionais são indicadas para os meses de verão, com a situação da carteira de pedidos melhorando acompanhada por níveis elevados de confiança dos negócios e o alívio adicional de restrições de vírus em casa e no exterior. Mas os indicadores de preços da pesquisa também subiram para níveis insuperáveis, o que aumentará as preocupações com a inflação”. Segundo ele, esse movimento levará à especulação sobre uma redução mais rápida do que o anteriormente esperado da política do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).