PMI do setor de serviços dos EUA sobe a 57,5 pontos em janeiro

367
Foto: JM Griffin / freeimages.com

São Paulo – O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor de serviços dos Estados Unidos subiu a 57,5 pontos em janeiro – a maior alta em dois meses -, de 54,8 pontos em dezembro, de acordo com dados preliminares divulgados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

Os analistas esperavam 53,5 pontos em janeiro. Números acima de 50 sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração. O PMI composto, que agrega dados dos segmentos industrial e de serviços, avançou para 58,07 pontos em janeiro – também a maior alta em dois meses -, de 55,3 pontos em dezembro.

A leitura de janeiro foi marcada pela diminuição do ritmo de crescimento de novos negócios neste início de ano devido às restrições impostas às empresas pela pandemia do novo coronavírus, que reduziram a demanda. A recuperação foi sólida, porém, com novos negócios no exterior voltando a crescer.

A taxa de inflação de preços de insumos subiu ainda mais em janeiro, em meio a custos mais elevados de transporte e imobilizados. A taxa de aumento foi a mais rápida já registrada desde o início da coleta de dados, em outubro de 2009. Embora as empresas procurassem repassar parte dos aumentos de preços a seus clientes, muitas limitaram a inflação para garantir que não tivessem preços não competitivos.

Em linha com uma redução fracionária na carteira de trabalho, o ritmo de criação de empregos diminuiu em todo o setor de serviços. A taxa de crescimento do emprego foi apenas marginal, já que algumas empresas mencionaram esforços de corte de custos e dificuldades em encontrar substitutos adequados.

Já o otimismo dos negócios melhorou à medida que as empresas esperam por uma implantação rápida de vacinas contra a covid-19 e uma redução nas restrições à movimentação.