PMI de serviços do Brasil cai a 44,1 em março; atividade segue em queda

Brasília – O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor de serviços caiu para 44,1 pontos em março, de 47,1 pontos em fevereiro, segundo dados divulgados pelo instituto IHS Markit. A leitura, inferior a 50 pontos, indica que a atividade continua diminuindo.

“O um aumento nos casos da pandemia de coronavírus e o restabelecimento das restrições causaram um declínio mais acentuado na atividade. Em resposta, as empresas reduzam a atividade de negócios mais rápido desde meados de 2020 e continuou a eliminar empregos”, disse o IHS Markit em relatório.

Segundo Pollyanna de Lima, diretora associada de economia na IHS Markit, “o setor de serviços do Brasil foi fortemente impactado pelo ressurgimento dos casos COVID-19 e a introdução de restrições mais duras. As empresas notaram um forte deterioração da demanda, o que causou declínio nas novas contratações de trabalho e atividades de negócios”.

Ela acrescentou que as empresas também observaram o aumento mais acentuado em custos de insumos e que para diminuir a pressão sobre as margens, as empresas reduziram emprego e aumentaram seus próprios preços de venda.

A confiança dos empresários também diminuiu em março, prejudicada pelo aumento das preocupações com a alta nos casos covid-19 e a reintrodução de restrições.