PIB sobe 0,4% no segundo trimestre, acima do previsto

Por Olívia Bulla

São Paulo – A economia brasileira voltou a crescer no segundo trimestre deste ano, após iniciar 2019 em queda de 0,1% (dado revisado de -0,2% na leitura original em relação ao quarto trimestre de 2018). O Produto Interno Bruto (PIB) do país subiu 0,4% entre abril e junho em relação aos três meses anteriores, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou acima da mediana projetada pelo Termômetro CMA, de +0,20%.

Já em relação ao segundo trimestre de 2018, o PIB registrou o décimo resultado positivo seguido, em +1,0% e ganhando tração em relação ao resultado anterior (+0,5%), no mesmo confronto. A alta no confronto anual também ficou acima da mediana projetada pelo Termômetro CMA, de +0,70%.

Com isso, o PIB brasileiro acumula alta de 1,0% nos últimos 12 meses até junho. Em valores, o PIB do país somou R$ 1,780 trilhão entre abril e junho deste ano.

Entre os componentes do PIB, na ótica da oferta, o setor agrícola caiu 0,4% entre abril e junho deste ano em relação aos três meses anteriores, mas avançou 0,4% ante igual período de 2018. O PIB do agronegócio somou R$ 86,9 bilhões no segundo trimestre deste ano.

Já o PIB da indústria interrompeu dois trimestres seguidos de queda e subiu 0,7%, em base trimestral e avançou 0,3% em relação ao mesmo período de 2018, após duas quedas consecutivas, nesse tipo de confronto. O PIB industrial somou R$ 324,4 bilhões entre abril e junho de 2019.

Ainda do lado da oferta, o PIB de serviços registrou o décimo trimestre consecutivo de alta e subiu 0,3%, em base trimestral. Na comparação anual, o PIB do setor teve alta de 1,2%, no nono resultado positivo. O PIB de serviços somou R$ 1,112 trilhão no segundo trimestre deste ano.

Já pela ótica da demanda, o consumo das famílias subiu 0,3% no segundo trimestre de 2019, no décimo trimestre seguido de resultado positivo. Em relação ao mesmo período de 2018, o consumo das famílias teve alta de 1,6%, no nono resultado positivo seguido. No segundo trimestre deste ano, o consumo das famílias somou R$ 1,133 trilhão.

Ainda nessa ótica, o consumo do governo caiu 1,0% ante o trimestre anterior e recuou 0,7% em relação ao mesmo período de 2018. Os gastos do governo somaram R$ 349,5 bilhões de abril a junho de 2019.

Por fim, a formação bruta de capital fixo (FBCF) no país interrompeu dois trimestres seguidos de queda e subiu 3,2% no segundo trimestre de 2019 em relação aos três primeiros meses do ano, enquanto na comparação com igual período de 2018 houve uma alta de 5,2%, no sétimo resultado positivo consecutivo. Essa parcela do PIB, que se refere aos investimentos produtivos, somou R$ 282,7 bilhões no segundo trimestre deste ano.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com