Petrobras aprova venda de participação na Deten por R$ 585 milhões

154
Foto: Divulgação/Petrobras

São Paulo, SP –  A Petrobras informou ontem que o Conselho de Administração aprovou a venda da totalidade de sua participação (27,88%) na Deten Química, localizada no polo industrial de Camaçari, no estado da Bahia, para a empresa Cepsa Química, que já possui participação indireta na Deten de 69,94%. A celebração do contrato de compra e venda e as etapas subsequentes serão divulgadas ao mercado oportunamente.
O valor da venda é de R$ 585 milhões a ser pago no fechamento da transação, com depósito de 5% do valor (R$ 29,25 milhões) na data de assinatura do contrato de compra e venda, que será descontado do valor total quando do pagamento. O valor não considera os ajustes devidos até o fechamento da transação. A transação está sujeita ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (Cade).
Segundo a nota da estatal, a aprovação da venda está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos e com o regime especial de desinvestimento de ativos pelas sociedades de economia mista federais. “Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhora de alocação do capital da companhia, visando a geração de valor para os seus acionistas”, destacou a companhia.
A Deten fabrica e vende as principais matérias-primas para o segmento de limpeza doméstica e comercial no Brasil, sendo a única produtora nacional do Linear Alquilbenzeno (LAB), precursor do Ácido Linear Alquilbenzeno Sulfonato (LABSA), do qual também é fabricante. Sua capacidade anual de produção é de 230.000 toneladas de LAB e de 120.000 toneladas de LABSA. Adicionalmente, a empresa produz 10.000 toneladas/ano Alquilado Pesado (ALP) que se destina, principalmente, à produção de fluido térmico, graxas, aditivos lubrificantes e óleos têxteis.
A Cepsa Química é líder mundial no setor em que atua e lidera a produção mundial de LAB, principal matéria-prima utilizada em detergentes biodegradáveis, sendo um player pioneiro. É também número um na produção de cumeno, um produto intermédio utilizado na produção de fenol e acetona, que são as principais matérias-primas para a fabricação de plásticos de engenharia e do qual é a segunda maior produtora mundial. A Cepsa Química
emprega atualmente mais de 1.000 pessoas e tem fábricas em sete países em todo o mundo (Espanha, Alemanha, Brasil, Canadá, China, Indonésia e Nigéria).
UNIDADE DE FERTILIZANTES NITROGENADOS
A companhia informou ainda que não foi concluído o processo de venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III), no município de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, com o grupo russo Acron, “tendo em vista que o plano de negócios proposto pelo potencial comprador, em substituição ao projeto original, impossibilitou determinadas aprovações governamentais que eram necessárias para a continuidade da transação”.
Segundo o comunicado, a Petrobras está realizando os trâmites internos para encerramento do atual processo de venda e lançamento de um novo tão logo possível, e reforça o seu compromisso “com a ampla transparência de seus projetos de desinvestimento e de gestão de seu portfólio e informa que as etapas subsequentes do projeto serão divulgadas de acordo com a Sistemática de Desinvestimentos da companhia.