Para o Fed, covid-19 está no topo da lista de riscos ao sistema financeiro dos EUA

172
Edifício do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) / Foto: Fed

São Paulo – A pandemia do novo coronavírus encabeça a lista de riscos ao sistema financeiro dos Estados Unidos, segundo o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que aponta para o nível sem precedentes de incertezas econômicas e financeiras.

“A maioria dos economistas espera uma recuperação moderada da economia dos Estados Unidos e no exterior após uma recessão global, mas a incerteza em torno desse resultado é excepcionalmente alta. A forte desaceleração da atividade econômica afetou de forma desproporcional empresas e famílias, e um enfraquecimento adicional nos balanços daqueles que são especialmente vulneráveis pode afetar o sistema financeiro”, diz o Fed em seu relatório sobre estabilidade financeira.

No documento, o Fed lembra que apesar de bem sucedidas na crise atual, as ferramentas de política monetária e fiscal têm capacidade limitada de moderar algumas dimensões do que é fundamentalmente um choque de saúde pública.

Neste cenário, o banco central norte-americano afirma que se a pandemia persistir por mais tempo do que o previsto, especialmente se houver longos atrasos na produção ou distribuição de uma vacina bem-sucedida, a pressão negativa sobre a economia dos Estados Unidos pode prejudicar a recuperação em curso assim como os mercados e instituições financeiras.

“Especialmente se muitas empresas forem fechadas novamente e muitos trabalhadores são dispensados e deixados sem uma renda normal por um longo período”, afirma o Fed.

No relatório, o Fed também lembra o apetite do investidor pelo risco assim como os preços dos ativos aumentaram nos últimos meses, mas podem sofrer quedas significativas caso a pandemia tome um curso inesperado ou a recuperação econômica se mostre menos sustentável.

“Dado o nível geralmente alto de alavancagem no setor empresarial não financeiro, lucros fracos e prolongados podem desencadear estresse financeiro e inadimplência. Além disso, uma desaceleração prolongada pode prejudicar ainda mais as finanças até mesmo de famílias com pontuação de crédito elevada, o que pode levar à inadimplência e colocar pressão financeira sobre os bancos”, diz o Fed no relatório.

Na semana passada, após a reunião de política monetária que manteve a taxa de juros perto de zero, o presidente o Fed, Jerome Powell, alertou sobre os riscos de uma segunda onda de covid-19 nos Estados Unidos e reafirmou a importância do apoio fiscal adicional para manter a recuperação da economia em ritmo sólido.

Na ocasião, Powell reforçou que o Fed estava pronto para ajustar sua política e ferramentas caso os riscos à economia se agravem.