Países europeus suspendem uso da vacina da AstraZeneca em caráter temporário

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – Vários países europeus suspenderam o uso da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford em caráter temporário diante de suspeitas de que o imunizante favorece o surgimento de coágulos sanguíneos.

Na lista estão países como Alemanha, Itália, França, Espanha, Áustria, Dinamarca, Estônia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Holanda, Irlanda, entre outros, que aguardam novo posicionamento da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) – o regulador de saúde europeu – sobre o imunizante.

Segundo o presidente francês, Emmanuel Macron, esse posicionamento deve ser anunciado amanhã. A EMA, por sua vez, anunciou uma reunião sobre o assunto para o próximo dia 18. Mais cedo, a Comissão Europeia pediu que os países da União Europeia sigam as recomendações da EMA sobre o imunizante.

A AstraZeneca defendeu sua vacina, observando que o número de casos de trombose em pessoas inoculadas com o imunizante é “significativamente menor do que o esperado”.

Em nota divulgada ontem, a empresa diz que uma revisão cuidadosa de todos os dados de segurança disponíveis de mais de 17 milhões de pessoas vacinadas na UE e no Reino Unido não mostrou evidências de um risco aumentado de embolia pulmonar, trombose venosa profunda (TVP) ou trombocitopenia, em qualquer faixa etária definida, sexo, lote ou em qualquer país em particular.

Até agora, segundo a AstraZeneca, na UE e no Reino Unido houve 15 eventos de TVP e 22 eventos de embolia pulmonar relatados entre aqueles que receberam a vacina, com base no número de casos que a empresa recebeu até 8 de março.

Texto atualizado às 15h30