Órgãos aprovam termos finais do acordo com Sete Brasil

Foto: Divulgação / Petrobras

São Paulo – A diretoria da Petrobras e o conselho de administração aprovaram os termos finais do acordo com a Sete Brasil. A eficácia do acordo dependerá do atendimento de condições que deverão ocorrer ao longo do tempo, devendo a última ser implementada até 30 de junho de 2020.

O acordo preserva os termos anteriores e prevê a manutenção dos contratos de afretamento e de operação referentes a quatro sondas, com vigência de 10 anos e taxa diária de US$ 299 mil, encerramento dos contratos em relação às demais 24 sondas e a saída da Petrobras e de suas controladas do quadro societário das empresas da Sete Brasil e do FIP Sondas.

A estatal disse que caberá à Magni Partners, vencedora do leilão da recuperação judicial da Sete Brasil, em associação com a Etesco, o afretamento e a operação das quatro sondas remanescentes, ainda em fase de construção.

Em comunicado, a Petrobras afirmou que a assinatura dos contratos que formalizarão o acordo dependerá das regras de governança da Sete Brasil e das empresas envolvidas.