Oi deve finalizar a venda da InfraCo no fim do trimestre

137
Foto divulgação: Oi

São Paulo – A Oi, em recuperação judicial, disse que o término do processo de escolha dos participantes do leilão da InfraCo, unidade de fibra ótica da companhia, deve ocorrer no fim do primeiro trimestre. Os chamados stalking horses, são os proponentes com posição privilegiada, que terão o direito de igualar ou superar a proposta de outro proponente na negociação. O leilão está marcado para 22 de janeiro.

“O prazo final do anúncio do stalking horse da InfraCo envolve a apresentação de diversos documentos e, por isso, dificilmente ocorrerá antes de fevereiro”, disse Camille Faria, diretora financeira da Oi, em entrevista concedida ao canal da corretora Genial no YouTube.

Na última terça-feira (12), as ações da Oi chegaram a subir mais de 4% com a notícia divulgada pela agência de notícias “Bloomberg” de que um fundo do BTG Pactual se juntou ao Canada Pension Fund Investment Board, do Canada Pension Plan Investment (CPPI), para apresentar oferta pela InfraCo.

A Oi pretende vender até 51% da unidade e o valor inicial foi definido em R$ 20 bilhões para a totalidade da operação.  Segundo a reportagem, a Highline do Brasil, subsidiária local da Digital Colony, e da Ufinet, ligada à Enel, também farão ofertas vinculantes à InfraCo, segundo fontes de mercado, mas nenhuma quis comentar a informação imediatamente.

A Oi precisa concluir a venda das unidades de negócio enquanto está em recuperação judicial, que vai até 4 de outubro, um ano após ter sido homologado.

“O mercado vem reconhecendo as entregas da companhia em valorização das ações, que passou de R$ 0,80 para R$ 2,50 nos últimos anos e esse movimento deve se intensificar à medida que o plano de recuperação judicial avance”, disse.

OI MÓVEL

A Oi não descarta que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) imponha “remédios” ao plano de segregação da Oi Móvel para mitigar eventuais preocupações remanescentes relacionada à concentração, mas acredita que o processo seguirá dentro do prazo e com o apoio das empresas.

“Já contamos que o Cade vá usar o período máximo permitido pela legislação, de 300 dias, para avaliar e fechar a operação. A surpresa positiva é se o órgão finalizar o processo antes do prazo”, disse Faria.

A diretora da Oi acrescentou que o valor de venda da unidade móvel ficou dentro da expectativa da companhia.