Ofício da AMN sobre R$ 3 bilhões adicionais da Braskem em Alagoas é suspenso

147
Foto: Divulgação/Braskem

São Paulo – A Braskem informou que o ofício da Agência Nacional de Mineração (AMN) sobre o encerramento das atividades de extração de sal-gema em Maceió e preenchimento com material sólido de determinados poços de sal adicionais com valor estimado adicional de aproximadamente R$ 3 bilhões foi suspenso até avaliação final dos argumentos técnicos após pedido reconsideração da empresa.

Em fato relevante divulgado em 26 de novembro de 2020, a Braskem questionou o cálculo realizado pela Agência Nacional de Mineração (AMN).

“A companhia traçou um plano para fechar a mina para monitorar a cavidade dos poços, em que previa custos de R$ 1,2 bilhão [sem considerar o valor provisionado para apoiar os moradores da região], a companhia já tem em andamento um contrato para preenchimento, com areia, de quatro cavidades, com estimativa de três anos para conclusão do processo e que, poderia ser reavaliado, com uma possível estabilização do solo. Os custos informados pela ANM superam esse valor, precisamos entender o que são esses custos adicionais previstos pela agência”, disse Pedro Freitas, diretor de relações com investidores da companhia.

Bruno Soares / Agência CMA