Novos casos de covid-19 no Brasil caem pela segunda semana

152
Imagem microscópica do coronavírus
Imagem microscópica do coronavírus causador da covid-19. (Foto: Hannah A Bullock e Azaibi Tamin/CDC)

São Paulo – Os novos casos de covid-19 no Brasil caíram levemente pela segunda semana consecutiva, mas o país passou de 100 mil mortes provocadas pela doença no último sábado e superou a barreira dos 3 milhões de contaminados na sexta-feira, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

Na semana encerrada em 8 de agosto, os novos casos de covid-19 no Brasil caíram 2,8% em relação à semana anterior, para 304.535. Foi a segunda queda consecutiva, depois de um recuo de pouco menos de 2,0% na semana terminada em 1 de agosto.

A situação, porém, continua desigual entre os estados. Em São Paulo, o mais afetado pela doença em números absolutos, a curva continua subindo, embora na semana passada os novos casos tenham diminuído em 4,7%, para 69.413.

Vários estados tiveram quedas significativas no número de novos infectados na semana passada – Sergipe (-39,05%), Pernambuco (-26,29%), Rio Grande do Norte (-22,41%), Amazonas (-18,16%), Paraíba (-16,88%), Ceará (-14,06%) e Paraná (-11,09%) -, mas em quase todos eles os casos estão encolhendo há duas semanas ou menos.

Na outra ponta, houve crescimento mais intenso de novos casos em Rondônia (+10,96%), Rio Grande do Sul (+15,88%), Acre (+23,17%), Tocantins (+30,07%) e Pará (+35,87%) – este último estado vinha numa sequência de cinco semanas consecutivas de queda nos casos.

Até ontem, o Brasil registrava 3,035 milhões de casos de covid-19. Deste total, mais de dois terços (2,118 milhões) foram curados, e os demais (815.913) estavam em tratamento, segundo o Ministério da Saúde.

O número de mortes provocadas pela covid-19 chegou a 101.049, o que corresponde a uma taxa de letalidade de 3,33%. Apenas no domingo foram notificadas 572 mortes nos sistemas oficiais, mas segundo o Ministério da Saúde a maior parte aconteceu em outros períodos, e 116 delas de fato ocorreram nos últimos três dias. Há ainda outras 3.566 mortes em investigação para verificar se foram ocasionadas pela covid-19.