Nova York volta a apresentar mais de 3% na taxa de testes positivos por dia

178
Pessoas esperam em fila para fazer teste em Nova York / Foto: ONU

São Paulo — O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, anunciou que pela primeira vez em meses, o número diário de pessoas que testaram positivo para covid-19 atingiu 3,25% na metrópole. O índice aumentou no momento em que a maioria das escolas públicas começa a reabrir.

Segundo o prefeito, o aumento no número de casos foi impulsionado por pontos críticos em nove CEPs no sul do Brooklyn e Queens, que registraram um aumento de mais de três vezes nas últimas duas semanas.

De Blasio afirmou que “o fechamento de escolas e empresas nos locais é uma possibilidade” mas que, primeiro, será aumentado procedimentos de distanciamento e uso de máscaras.

Autoridades da cidade disseram que uma equipe multiagência também iria a escolas particulares nos bairros para garantir que estavam obedecendo às diretrizes de distanciamento social. O departamento de saúde já fechou vério estabelecimento que não estavam em conformidade.

“Este é um ponto de inflexão. Precisamos tomar mais medidas”, disse de Blasio. Durante semanas, a taxa da cidade de pessoas com teste positivo para covid-19 foi de cerca de 1%. De Blasio disse que a taxa da cidade, agora, em uma média de sete dias é de 1,38%.

De Blasio afirmou que como parte dos esforços, autoridades municipais estão conversando com líderes comunitários de bairros para motivarem a conformidade com o distanciamento social, já que vários dos locais afetados são conhecidos por serem tradicionalmente de grandes famílias judias ortodoxas.

O recente aumento ocorre na mesma semana em que as aulas presenciais se iniciam. Alunos do ensino fundamental voltaram às escolas hoje e os do ensino médio começarão as aulas presenciais na quinta-feira.

Segundo o comissário de saúde da cidade, Dave Chokshi, o aumento de casos é “o momento mais precário” desde o bloqueio da cidade em março.

De Blasio, por fim, pediu que os nova-iorquinos nas comunidades dos pontos afetados fizessem testes, dizendo que a cidade precisava de “toda a verdade” sobre o número de pessoas infectadas. Segundo ele, equipes estariam pela cidade nos próximos dias.