Nova fase da Lava Jato apura envolvimento executivos de empreiteiras em corrupção

202
Divulgação: Polícia Federal

São Paulo – A Polícia Federal (PF) deflagrou a 73 fase da Operação Lava Jato, denominada Ombro a Ombro, que tem por objetivo a apuração de supostos delitos de corrupção passiva e lavagem de capitais.

A operação, com cooperação do Ministério Público Federal, cumpre cinco mandados de busca e apreensão nas cidades de Brasília (DF), João Pessoa (PB), Cabedelo (PB) e Campina Grande (PB).

As investigações apontaram que uma organização criminosa formada por executivos de grandes empreiteiras, por meio da formação de cartel e pagamento sistemático de propina a diretores da Petrobras, fraudava o caráter competitivo de licitações realizadas pela estatal.

Conforme apurado, um investigado teria solicitado e recebido pelo menos R$ 4 milhões para blindar executivos de grandes empreiteiras. Com base em declarações de um desses executivos de uma das empreiteiras, conforme acordos de colaboração premiada, as vantagens indevidas teriam sido pagas pela empreiteira por meio de doação a um partido político e repasses a empresas sediadas na Paraíba.

Segundo a PF, como justificativa para esses pagamentos indevidos foram firmados contratos fictícios ou superfaturados, e os valores seriam sacados pelos representantes das empresas e entregues em espécie a intermediários do investigado.