‘Nossa visão está alinhada com a do governo Lula, que é nosso acionista majoritário’, diz nova CEO da Petrobras

116
A presidente da Petrobras, Magda Chambriard, tomou posse em 19/06/24. Foto: Roberto Farias / Agência Petrobras

São Paulo – A presidente da Petrobras, Magda Chambriard, foi empossada pela companhia, em cerimônia realizada na tarde desta quarta-feira, no Centro de Pesquisas da Petrobras, Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), na Ilha do Fundão (RJ). “A missão que me foi dada pelo presidente [Lula] foi movimentar a companhia, por que ela comanda o PIB do País. Agradeço a confiança do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira”, discursou a CEO.

Ela recebeu um crachá do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, presente na cerimônia. Chambriard também agradeceu ao colega Nilton Teixeira e à colegas da indústria do petróleo, entre outros. “Para mim, é como se fosse uma volta para casa, pois é onde comecei, há 22 anos. Volto à Petrobras com o compromisso com a empresa. A Petrobras nasceu do desejo de brasileiros e brasileiras por um país soberano em energia”, discursou.

Em suas falas, a presidente da Petrobras disse que var executar o Plano Estratégico 2024-2028 da companhia, “que tem capacidade de gerar muitos empregos”. Ela também disse que sua gestão irá “zelar por governança e resultados operacionais robustos”.

“Nossa visão está alinhada com a do governo Lula, que é nosso acionista majoritário. Também está alinhada com a visão do mercado”, disse Chambriard.

A executiva disse que as plantas de refino da Petrobras “serão fortalecidas com investimentos consistentes”, mas buscando reduzir as emissões de carbono (CO2) e com a meta de atingir o “Net Zero” até 2025.

“Também vamos avançar em energia eólica e solar. Vamos avançar em gás natural com os investimentos no Rota 3 e nas unidades de processamento. Nossa retomada no setor de fertilizantes é oportunidade para ampliar nossa atuação em gás”, detalhou a executiva.

A presidente da Petrobras também destacou os planos da companhia para instalar novas plataformas no quinquênio, antecipar o início da produção da plataforma do mar de Santos e nos investimentos em exploração e produção (E&P), reforçando o interesse da empresa na exploração da Margem Equatorial e de reservas de petróleo no sul do país.

O discurso também destacou os esforços da Petrobras com inclusão e causas sociais. “O caminho para transição enrgética justa é inclusivo”, disse a CEO.

“A Petrobras tem papel essencial na redução das desiguladades do país. Temos compromisso com a segurança, com o meio ambiente e em promover direitos humanos na companhia”, disse ela.

A CEO da Petrobras destacou que, de forma inédita, a companhia terá três mulheres na direção executiva. Na última sexta-feira (14), a Petrobras informou que sua presidente Magda Chambriard indicou três novos membros para a composição da diretoria executiva. Para a diretoria de Engenharia, Tecnologia e Inovação, Renata Baruzzi; para Exploração e Produção, Sylvia dos Anjos; e para Financeira e de Relacionamento com Investidores, foi indicada Fernando Melgarejo.

As declarações foram feitas durante a cerimônia de posse da presidente da Petrobras, Magda Chambriard, realizada na tarde desta quarta-feira, no Centro de Pesquisas da Petrobras, Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), na Ilha do Fundão (RJ). Também estiveram presentes os ministros de Minas e Energia, Alexandre Silveira, da Fazenda, Fernando Haddad, da Casa Civil, Rui Costa, da Cultura, Margareth Menezes, o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, entre outras autoridades, membros do conselho de administração, trabalhadores e sindicalistas da categoria petroleira.

MINISTROS

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, destacou a atuação de Magda como diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) no governo da ex-presidente Dilma Roussef, de 2012 a 2016. Ela também foi diretora da agência reguladora entre 2008 e 2012.

Silveira disse que o governo anterior não respeitou a Petrobras. “Eles queriam sucatear a companhia, como eles fizeram com a Eletrobras. A Petrobras, no antigo governo, não investia num futuro saudável. Mas isso tudo mudou com a volta do nosso maior líder, o presidente Lula. A Petrobras tem que investir no social, tem que buscar reposição energética com as nossas reservas de petróleo e gás. A pesquisa na Margem Equatorial é uma questão de soberania das nossas reservas. Vamos construir um caminho seguro com o Ibama para conhecer as nossas capacidades exploratórias”, discursou.

Silveira também destacou a valorização de 38% das ações da companhia durante a gestão do presidente Lula e os resultados da companhia.

“Sem investimentos, a Petrobras não cresce e o investidor fica prejudicado. O plano estratégico será cumprido pela nova presidente”, afirmou o ministro. “Ministro Haddad, não teremos sobressaltos. A Petrobras vai gerar riquezas.”

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, destacou a iniciativa do presidente anterior, Jean Paul Prates, em desenvolver novos instrumentos que permitem transações de contribuintes com capacidade de pagamento a auxiliar o governo na arrecadação. “É um exemplo como forma de estabelecer uma nova forma de governança, mais decente, mais moral, de forma transparente a promover os desenvolvimentos da companhia e da sociedade”, comentou Haddad.

LULA: ‘SE A PETROBRAS DER CERTO, O BRASIL VAI DAR CERTO’

O presidente Lula lamentou a ausência da Eletrobras e da Vale entre as estatais do país. “Podíamos ter a Eletrobras e a Vale aqui. Desde Brumadinho e a Mariana, não foram pagos os estragos à população”, disse o presidente.

Lula falou sobre o número de trabalhadores na indústria petrolífera nas suas gestões anteriores e lembrou da descoberta do pré-sal. “Nós ficamos muito felizes. A primeira coisa que o presidente Chaves me chamou foi de magnata do petróleo.”

O presidente também lembrou do fundo que pretendia criar para financiar investimentos no país. “Queríamos dividir a riqueza do petróleo com a nossa população, mas tudo isso veio abaixo com a ganância da elite. Se de fato fosse combater a corrupção, não acabariam com as empresas”, disse Lula, em referência à Operação Lava Jato.

“O que estava por trás de tudo isso era entregar fatias da Petrobras para as petrolíferas internacionais. Os que queriam o fim da Petrobras foram os mesmos que abriram empresas de importação de gasolina. Tudo isso nós precisamos discutir para que prevaleça a verdade para o povo brasileiro. Queremos uma empresa lucrativa, o Haddad vai ficar mais feliz para ajudar o Tesouro e os Estados”, disse Lula.

Lula disse que a Petrobras vai ajudar a recuperar a produção de fertilizantes e que a caminha para se posicionar como uma das maiores empresas de energia do mundo.

“Na Bolsa de Valores de SP, nós conseguimos fazer a maior capitalização de uma empresa no mundo. Isso certamente deixou muita gente irritado, por que querem que o Brasil seja pobre. E nós queremos o contrário, queremos um país grande e é por isso que nós queremos a Petrobras grande. Nós amamos a Petrobras!”, acrescentou o presidente.

“A farsa da Lava Jato foi desmontada e nós estamos de volta para fazer a Petrobras crescer”, discursou Lula. “Eu lamento a quantidade de engenheiros que teve que se afastar, a quantidade de mentiras que tínhamos que lidar.”

O presidente disse que, desde o 1 dia de governo, o governo trabalha para uma Petrobras mais integrada e para fazer o país mais desenvolvido e mais justo. “A Petrobras tem papel fundamental na soberania de energia, com investimentos de mais de R$ 100 bilhões.”

“Não sei qual a ojeriza de não gostar de gás, que pode ajudar a nossa indústria.” Lula destacou iniciativas do governo, como o programa Gás Para Empregar, por exemplo.

Por fim, Lula disse que “se a Petrobras der certo, o Brasil vai dar certo.”