Na Bolívia, presidente Magda Chambriard destaca Interesse da Petrobras em gás natural

62
Presidente da Petrobras, Magda Chambriard, no Foro Empresarial Bolivia – Brasil, em Santa Cruz de La Sierra. Foto: Valeria Arnez / Divulgação Petrobras.

São Paulo – A presidente da Petrobras, Magda Chambriard, participou nesta terça-feira, 9/7, do Foro Empresarial Bolivia Brasil, em Santa Cruz de La Sierra. Falando para uma plateia de empresários e autoridades brasileiras e bolivianas, Magda destacou o interesse da Petrobras no incremento da produção de gás operada pela companhia na Bolívia e no aumento do volume de importação do insumo para o Brasil. Com maior oferta de gás para o mercado brasileiro, a preços acessíveis, a presidente espera viabilizar projetos de fertilizantes e de petroquímica previstos no Plano Estratégico 2024 2028.

“Hoje o mercado consumidor brasileiro demanda 50 milhões de m3 de gás natural por dia. Acreditamos que esse mercado pode ser triplicado, alcançando 150 milhões de m3 diários. Esse gás servirá como insumo para a indústria petroquímica e para a produção de fertilizantes. A condição é que sejamos capazes de fazê-lo chegar ao Brasil a preços acessíveis”, disse a presidente.

Para Magda, o gás natural tem um papel essencial na integração energética da América do Sul. “Apostamos muito nessa sinergia entre Brasil, Bolívia e também a Argentina, países interligados pelo gasoduto”, declarou.

A presidente mencionou as perspectivas para o incremento da produção no país vizinho. “A Petrobras, que já foi responsável por 60% da produção de gás natural boliviana, opera hoje 25% do total produzido no país. Nós olhamos pra frente e vemos oportunidades para serem desenvolvidas pela Petrobras ou em parcerias que merecem nosso investimento”, disse.

Projeto exploratório

Na área de San Telmo Norte, no estado de Tarija, a Petrobras Bolívia pretende perfurar em 2025 um poço exploratório por meio do qual vai investigar o potencial das reservas de gás natural. A Petrobras Bolívia planeja investir cerca de 40 milhões de dólares para perfuração desse poço, caso obtenha licença ambiental.

A área tem potencial de recuperação de cerca de 2,7 trilhões de pés cúbicos (TCF, na sigla em inglês).

“Os novos investimentos na área de San Telmo Norte reforçam nosso compromisso com a parceria entre Brasil e Bolívia”, concluiu Magda Chambriard.

Foro Empresarial Bolivia-Brasil

O Foro Empresarial Bolivia Brasil foi promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações de Investimentos Apex Brasil. O evento ocorreu na cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra com a presença dos presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e Bolívia, Luis Alberto Arce Catacora.

Petrobras Bolívia

A Petrobras Bolívia é uma subsidiária integral da Petrobras que opera campos de exploração e produção por meio de contratos de serviço com a estatal boliviana YPFB. Como operadora, a Petrobras Bolívia atua em quatro campos: San Alberto e San Antonio, Itaú, Colpa Caranda, além do campo de San Telmo Norte, em fase de exploração. Nos campos em produção, a companhia produziu no ano passado 9 milhões de m3 /dia de gás natural, o que corresponde a 25% da produção total da Bolívia. A companhia tem participação também em três outros ativos não operados.

Petrobras assina acordo para potencial parceria de negócios com a Yara Brasil Fertilizantes

A Petrobras informa que assinou com a Yara Brasil Fertilizantes S.A. (Yara) um “master agreement” como próximo passo nas negociações para estruturar uma potencial parceria de negócios no segmento de fertilizantes, produção de produtos industriais e descarbonização da produção, em linha com o Memorando de Entendimentos (MOU) assinado pelas partes em 29 de fevereiro de 2024.

O “master agreement” assinado é de caráter não vinculante e está alinhado à revisão das diretrizes estratégicas da companhia aprovadas no ano passado, pelas quais o investimento na produção de fertilizantes voltou a fazer parte do portfólio da Petrobras, conforme Plano Estratégico 2024-28+.

A Yara Brasil é uma empresa controlada pela holding norueguesa Yara International ASA (“Yara Internacional”), a qual tem como maior acionista o governo norueguês, que possui cerca de 36% de participação direta na empresa, e 7% de participação indireta, por meio do Fundo de Pensão do Governo da Noruega.

Na próxima fase, Petrobras e Yara finalizarão em conjunto a análise sobre as potenciais sinergias entre suas operações, com foco no aumento da eficiência no mercado local de fertilizantes e produtos industriais, incluindo possíveis soluções de descarbonização.

SOBRE A YARA

Fundada na Noruega, em 1905, está presente em diversos países ao redor do mundo, com mais de 17 mil colaboradores e operações em mais de 60 países. No Brasil, a Yara está posicionada em todos os principais polos agrícolas. Com mais de 5 mil colaboradores, a empresa atende todos os perfis de produtores e culturas, colaborando com o crescimento da agricultura e o protagonismo do país no desafio de alimentar uma população mundial crescente. Desde que se instalou no Brasil, na década de 1970, a Yara vem trabalhando para fomentar a produção de fertilizantes, reduzindo a dependência de importação de matéria-prima e modernizando a indústria nacional, em linha ao seu compromisso global com a agenda de descarbonização.

As informações partem da Agência Petrobras.