Moderna pedirá hoje a FDA autorização de uso de vacina contra covid-19

Foto: BioNTech

São Paulo, 30 de novembro de 2020 – A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela Moderna tem eficácia 94,1%, mostram novos dados, e a empresa planeja solicitar ainda hoje à Food and Drug Administration (FDA, equivalente a Anvisa no Brasil) autorização para uso de emergência.

A análise do estudo de fase 3 da vacina, que incluiu mais de 30 mil pessoas nos Estados Unidos, mostrou que 196 participantes contraíram covid-19. Deste total, 185 haviam recebido placebo e 11 receberam a vacina, “resultando em uma estimativa pontual de eficácia da vacina de 94,1%”, diz a Moderna, em comunicado.

Assim, a análise “confirma a alta eficácia observada na primeira análise provisória“. Segundo a empresa, uma revisão contínua dos dados de segurança está em andamento e nenhuma nova preocupação foi identificada, com reações adversas incluindo dor no local da injeção e dores de cabeça, entre outras.

A empresa também anunciou que planeja solicitar ainda hoje uma Autorização de Uso de Emergência à FDA e aprovação condicional da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), e “avançar com as revisões contínuas, que já foram iniciadas com agências reguladoras internacionais”.

“Acreditamos que nossa vacina fornecerá uma ferramenta nova e poderosa que pode mudar o curso desta pandemia e ajudar a prevenir doenças graves, hospitalizações e morte”, disse o executivo-chefe da Moderna, Stéphane Bancel.

A vacina da Moderna é baseada em uma técnica de RNA mensageiro (mRNA), a mesma utilizada pela Pfizer e BioNtech. No dia 20 de novembro, as duas empresas parceiras enviaram o pedido de autorização à FDA para uso emergencial de sua vacina, que mostrou eficácia de 95% no estudo clínico de fase 3.