Moderna inicia testes de vacina contra covid-19 em crianças

Foto: CureVac

São Paulo – A farmacêutica Moderna começou a testar sua vacina contra covid-19 em crianças de seis meses a 11 anos nos Estados Unidos e Canadá, numa tentativa de ampliar os espectro de pessoas que podem ser protegidas pelo imunizante.

Segundo a empresa, os estudos estão sendo feitos em colaboração com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas e uma divisão do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

“Este estudo pediátrico nos ajudará a avaliar o potencial de segurança e imunogenicidade de nossa vacina candidata contra covid-19 nesta importante população jovem”, disse o presidente-executivo da Moderna, Stéphane Bancel.

Os testes são uma combinação de estudos de fase 2 e 3, terão como objetivo inscrever cerca de 6.750 crianças e será realizado em duas partes, de acordo com a empresa.

A primeira parte do ensaio testará diferentes níveis de dose da vacina em crianças. Os pesquisadores examinarão a segurança e a resposta imunológica às várias doses para determinar qual levar para a segunda parte do estudo.

Na segunda parte do estudo, outros participantes do estudo serão designados aleatoriamente para receber duas doses da vacina Moderna ou um placebo, com 28 dias de intervalo. Os pesquisadores rastrearão a segurança, tolerabilidade e eficácia da vacina.

Eles determinarão a eficácia da vacina em crianças usando um marcador de resposta imune conhecido como um correlato de proteção ou comparando suas respostas imunes àquelas observadas em adultos jovens, disse a Moderna em comunicado.

A maior parte da campanha de vacinação da covid-19 nos Estados Unidos até agora tem se concentrado na proteção de adultos, que apresentam maior risco de doenças graves causadas pelo coronavírus do que crianças.

As vacinas da Moderna e da Johnson & Johnson são autorizadas para uso em adultos com 18 anos ou mais, enquanto a vacina da Pfizer Inc. e BioNTech SE é liberada para uso em pessoas com 16 anos ou mais.

Autoridades federais de saúde sugeriram que, se os estudos forem positivos, os alunos do ensino fundamental e médio podem ter acesso às vacinas no segundo semestre de 2021, seguidos por crianças em idade escolar no início de 2022.

Tanto a Pfizer quanto a Moderna iniciaram no ano passado ensaios clínicos testando suas vacinas em adolescentes com 12 anos ou mais. Ambos os ensaios têm participantes totalmente inscritos e os resultados estão pendentes. A J&J está planejando iniciar os testes pediátricos de sua vacina.