Ministros europeus acertam ajuda de 500 bilhões de euros contra pandemia

247
Sede da Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE), em Bruxelas. Foto: Divulgação/ Serviço Audiovisual da UE

São Paulo – O Eurogrupo (que reúne os ministros das Finanças da zona do euro) adotou um pacote de medidas de 500 bilhões de euros com o objetivo de atenuar o impacto do novo coronavírus na economia da região, segundo anúncio oficial do presidente do grupo, Mario Centeno.

“A crise derivada do novo coronavírus é profunda, porém temporária e sua duração ainda é incerta”, disse Centeno em videoconferência. “Há uma exigência clara para que os países que acessarem esses recursos usem o dinheiro para conter efeitos diretos e indiretos da crise provocada pelo novo coronavírus”, acrescentou.

Segundo os termos com o acordo, os membros da UE poderão receber linhas de crédito de precaução do fundo de resgate da região no valor de pelo menos 2% do Produto Interno Bruto (PIB), ou cerca de 240 bilhões de euros do crédito disponível no fundo de resgate da região, conhecido como Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês).

Os ministros das Finanças disseram que tentariam estabelecer o acesso ao ESM dentro de duas semanas. O financiamento poderia ajudar a pagar os custos de saúde e o estímulo econômico diretamente relacionado à crise, de acordo com comunicado.

Os ministros das Finanças também apoiaram um programa que concede empréstimos de até 200 bilhões de euros a empresas da UE, subscritos por 25 bilhões de euros em garantias dos membros do Banco Europeu de Investimento, o braço financeiro do bloco.

Eles aprovaram um programa de apoio a empregos de 100 bilhões de euros proposto na semana passada pela Comissão Europeia. Isso fará com que o órgão executivo da UE tome emprestado diretamente nos mercados, com garantias fornecidas pelos membros, para ajudar os governos a financiar programas que impedem as empresas demitir trabalhadores.

Carolina Gama / Agência CMA