Sauditas dizem que demanda por petróleo é incerta mesmo com vacinação

157
Opep
Sede da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), em Viena. Foto: Divulgação/ Opep

São Paulo – O ministro da Energia da Arábia Saudita, o príncipe Abdul Aziz Salman, disse que a demanda global por petróleo ainda é incerta apesar do início da vacinação contra a covid-19 em várias partes do mundo.

“A expectativa é de que com a vacinação, o mercado se estabilize, mas ainda há incertezas a nossa frente”, disse ele durante conferência virtual. “Esperamos que um esforço conjunto nos ajude a estabilizar o mercado e nos leve a uma economia próspera”, acrescentou.

A Opep e seus aliados, grupo conhecido como Opep+, está reunido para decidir se aumenta o fornecimento de fevereiro em 500 mil barris por dia (bpd).

Já o vice-primeiro ministro da Rússia, Alexander Novak, disse que a demanda global por petróleo deve se recuperar este ano, embora tenha destacado que as incertezas permanecem.

“A economia global deve ser recuperar e crescer este ano, o que favorece a demanda por petróleo. O processo de vacinação também ajudará a estabilizar o mercado de petróleo”, afirmou Novak. “No entanto, a gama de incertezas é significativa e não nos permitir fazer muitas previsões para o futuro”, acrescentou.

O secretário-geral da Opep, Mohammad Barkindo, disse ontem que, embora a demanda de petróleo deva aumentar 5,9 milhões de bpd, para 95,9 milhões de bpd este ano, o grupo vê muitos riscos para a demanda no primeiro semestre deste ano.