Ministério Público investiga suposta fraude da Vale em contrato com BSGR

São Paulo – O Ministério Público do Rio de Janeiro solicitou à Polícia Civil do Estado a instauração de inquérito para investigar uma suposta omissão fraudulenta do presidente-executivo da Vale, Eduardo Bartolomeo, de informações importantes aos acionistas e investidores da mineradora durante o estabelecimento de uma joint venture com a BSGR, em 30 de abril de 2010, que teve como objetivo a exploração de minério de ferro dos lotes 1 e 2 da mina de Simandou, em Guiné, no continente africano.

A informação foi publicada inicialmente pelo jornal “Valor Econômico” e confirmada pela reportagem da agência CMA.

Na época, o acordo envolveu US$ 2,5 bilhões, com a compra de 51% dos ativos pela Vale e US$ 500 milhões pagos, de forma adiantada, à BSGR.

Para a Guide Investimentos, “a investigação, caso acabe encontrando informações anteriormente omitidas, pode ter um efeito extremamente negativo na imagem da companhia, já que mostra grande falta de transparência e assim interfere na confiança do investidor”.

Mas apesar da divulgação da notícia sobre o inquérito, as ações da Vale registram alta hoje. Às 16h29 (Horário de Brasília) os papéis (VALE3) subiam 2,41%, a R$ 94,67.