Mercado revisa crescimento da economia brasileira para 1,99% em 2020

328
Edifício-sede do Banco Central em Brasília. (Foto: Divulgação/BC)

São Paulo – Os economistas ouvidos pelo Banco Central reduziram a estimativa para o crescimento da economia brasileira neste ano pela quarta vez seguida e preveem, agora, uma expansão abaixo de 2,00%. Segundo o relatório Focus, a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 caiu de 2,17% para 1,99%, ante previsão de alta de 2,30% há um mês.

Já para os demais anos, a previsão de alta do PIB ficou estável em 2,50%, cada, estimativas mantidas há 156 semanas para 2021; 98 semanas para 2022 e há 53 semanas para 2023.

Em relação à dívida líquida do setor público e o PIB, a previsão para 2020 caiu de 56,90% para 56,60%, enquanto para 2021 passou de 57,82% para 57,45%. Já para 2022, a relação da dívida líquida recuou de 59,00% do PIB para 58,70%, enquanto para 2023 foi de 59,70% para 58,85%.

Em relação ao resultado primário consolidado, a estimativa para 2020 permaneceu negativa em -1,10% do PIB, pela décima sétima vez seguida. Para 2021, a previsão passou de -0,50% para -0,51% do PIB, voltando ao nível de quatro semanas atrás, enquanto para 2022 melhorou de -0,10% para +0,10%, prevendo agora um resultado primário positivo. Já para 2023, a previsão subiu de 0,20% do PIB para +0,25% do PIB.