MERCADO AGORA: Veja um sumário dos negócios até o momento

177
Foto: Myles Davidson / freeimages.com

São Paulo – O Ibovespa segue em alta de mais de 1% e voltou a se aproximar dos 100 mil pontos mostrando maior volatilidade em meio ao vencimento de opções sobre ações e após declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ações ligadas a commodities, como as da Petrobras, também aceleram ganhos e ajudam a sustentar o índice.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava alta de 1,41%, aos 99.703,07 pontos. O volume financeiro do mercado era de aproximadamente R$ 24,2 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em dezembro de 2020 apresentava avanço de 1,29%, aos 99.955 pontos.

No cenário externo, por sua vez, segue a expectativa sobre um acordo em torno de um pacote de ajuda fiscal nos Estados Unidos, embora Wall Street opere sem uma direção clara no momento.

“Hoje é vencimento de opções e é natural que ocorra maior volatilidade, depois do horário do vencimento podemos ter um direcional mais claro, ver se o índice vai conseguir manter essa alta. No início do dia, as Bolsas no exterior também estavam mais positivas com a expectativa de que um pacote possa sair nos Estados Unidos”, disse o analista da Guide Investimentos, Henrique Esteter.

Esteter ainda destaca que as declarações de Guedes ajudaram a trazer algum ânimo para o mercado, embora não tenham trazido grandes novidades. “O ministro e o governo seguem apoiando reformas e pautas liberais, o que ajuda depois de semanas mais conturbadas”, disse.

Guedes reiterou que tem apoio do presidente Jair Bolsonaro e que o governo continuará fazendo reformas até o fim. Além disso, Bolsonaro anunciou três acordos bilaterais com os Estados Unidos, para facilitar o comércio, melhorar práticas regulatórias e anti-corrupção. Ambos também destacaram que querem remover barreiras para investimentos estrangeiros.

Entre as ações, os papéis da Petrobras (PETR3 1,86%) ampliaram ganhos e tentam recuperar perdas da semana passada em meio expectativa de um acordo que limite a produção de petróleo entre membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados. Os papéis da Vale (VALE3 1,31%) e de siderúrgicas, como CSN (CSNA3 3,07%) também avançam. O analista destaca que a Vale divulga hoje seus dados de produção e que há boas expectativa para os balanços do setor, sendo que a CSN já mostrou um balanço forte na semana passada.

Avanços nas negociações no Congresso norte-americano durante o final de semana por um pacote de estímulo nos Estados Unidos têm animado investidores e trazendo otimismo na manhã de hoje. Com isso, o dólar comercial vem apresentando recuo desde a abertura das negociações. Internamente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje que o governo seguirá com as reformas.

Por volta das 13h30, o dólar comercial registrava queda de 1,22%, sendo negociado a R$ 5,5760 na venda. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em novembro de 2020 apresentava recuo de 1,29%, cotado a R$ 5,576.

“O dia de hoje se inicia com esperanças renovadas em solo estadunidense no que se refere ao possível novo pacote fiscal. O otimismo se originou após a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, afirmar que um acordo pode ser estabelecido em até 48 horas”, explicou, em relatório matinal, Pedro Molizani, trader mesa de câmbio Travelex Bank.

O especialista diz ainda que “entretanto, o avanço da covid-19 no mundo e seus desdobramentos é monitorado de perto pelos agentes econômicos. Seguindo adiante, no que se refere ao mercado doméstico, depreende-se que os ânimos do exterior podem ajudar o cenário local”, acrescentou Molizani.

O economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa, reforça que, em meio às chances de se chegar a um acordo antes das eleições presidenciais, em 3 de novembro, investidores estão otimistas compensando os dados mistos sobre atividade divulgados na China.

Enquanto as vendas no varejo e a produção industrial na China subiram em setembro 3,3% e 6,9%, respectivamente, em base anual, o Produto Interno Bruto (PIB) do país asiático cresceu 4,9% no terceiro trimestre, abaixo das expectativas de +5,3%.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) intensificaram o ritmo de queda, acompanhando o dia de maior apetite por risco no exterior, diante das esperanças acerca de um pacote de estímulos nos Estados Unidos e após dados robustos da economia chinesa. Esse ambiente ofusca os riscos fiscais no Brasil e o avanço de uma segunda onda de contágio de covid-19 na Europa.

Às 13h30, o DI para janeiro de 2022 tinha taxa de 3,26%, de 3,38% no ajuste anterior, ao final da semana passada; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 4,61%, de 4,82% após o ajuste na última sexta-feira; o DI para janeiro de 2025 estava em 6,42%, de 6,64%; e o DI para janeiro de 2027 tinha taxa de 7,33%, de 7,57%, na mesma comparação.