MERCADO AGORA: Veja um sumário dos negócios até o momento

Gráfico

São Paulo – O Ibovespa opera com muita volatilidade, entre altas e baixas. O principal índice da B3 chegou a subir mais de 0,60% atrelado ao otimismo no mercado externo e alta do setor bancário, que tem grande peso no Ibovespa. Entretanto, o índice passou a cair no início da tarde de hoje.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa operava em queda de 0,16%, aos 118.759,00 pontos. O volume financeiro do mercado era de aproximadamente R$ 15,6 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em junho de 2021 apresentava ligeiro avanço de 0,03%, aos 119.120 pontos.

As ações de empresas exportadoras estão pesando negativamente, seguindo em queda diante do recuo da moeda norte-americana frente ao real. Essa desvalorização do dólar vem ocorrendo desde a semana passada, e vem seguindo na sessão de hoje.

O dólar comercial passou a operar em queda na sessão. Após abrir de lado e passar a subir logo em seguida, chegando a operar na máxima de R$ 5,4550, a moeda norte-americana passou a cair por volta das 11h30 (horário de Brasília).

Por volta das 13h30, o dólar comercial registrava queda de 0,42%, cotado a R$ 5,4060 para venda. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em junho de 2021 apresentava recuo de 0,59%, cotado a R$ 5,418.

De acordo com analistas de mercado, o dólar ampliou queda após “dados econômicos americanos mais fracos que o esperado”, disse um analista de investimentos, que completou ainda que os yields dos treasuries 10 anos ampliaram queda.

A atividade industrial dos Estados Unidos medida pelo índice do Instituto de Gerência e Oferta (ISM, na sigla em inglês) caiu para 60,7 pontos em abril, de 64,7 pontos em março. Analistas previam alta para 65,0 pontos. Números acima de 50 indicam expansão da atividade, enquanto números menores sugerem contração.

Entre os componentes do índice, o de novas encomendas caiu de 68,0 pontos para 64,3 pontos; o de produção recuou de 68,1 pontos para 62,5 pontos e o de emprego teve queda de 59,6 pontos para 55,1 pontos. O componente de estoques teve baixa de 50,8 pontos para 46,5 pontos e o de preços subiu de 85,6 pontos para 89,6 pontos.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) apresentam viés de alta enquanto os investidores seguem ajustando suas posições com vistas à reunião do Conselho de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) marcada para quarta-feira.

Por volta das 13h30, o DI para janeiro de 2022 tinha taxa de 4,705%, de 4,67% no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 6,36%, de 6,31%; o DI para janeiro de 2025 ia a 7,82%, de 7,80% antes; e o DI para janeiro de 2027 tinha taxa de 8,47%, de 8,45%, na mesma comparação.